Pages

terça-feira, 13 de julho de 2010

Kátia Abreu apronta mais uma

A Assessoria da Federação da Agricultura informa que a senadora Kátia Abreu ajuizou em Brasília, ação popular contra os procuradores Eugênio José Guilherme de Aragão, Daniel César Azeredo Avelino, Alan Rogério Mansur Silva e Carlos Frederico Santos. Eles são responsáveis pela campanha “Carne Legal" uma das mais importantes do MPF nos últimos anos.
Kátia Abreu pede que eles sejam obrigados a ressarcir, aos cofres públicos, R$ 400 mil , valor estimado da campanha.

Os Democratas do Pará que se cuidem. Não me espantaria nada se Kátia Abreu mudasse o domicílio eleitoral e passasse a concorrer pelo Pará, onde parece que ela encontra muito mais o que fazer do que no Tocantins, estado por onde foi eleita.

12 comentários:

Anônimo disse...

A CNA tem razão.
Aquela campanha é odiosa, prega o terror, desastabiliza o campo, estimula a violência.
Aliás, essa informação lembra o caso da PAGRISA. A empresa está derrubando, caladinha, na Justiça, uma por uma das acusaçães que aquele procurador amaulcado (louco por câmeras)e o Procurador Careca, fizeram para "libertar" mais de mil empregados da empresa. E junto com as vitórias na Justiça, a empresa está se recuperando. Modernizou não só a colheita(nunca mais recontratando os demitidos isto é, a ação do Ministério do Trabalho contribuiu para desempregeo grave no Pará. Foram substituídos por máquinas), mas a fábrica como um todo; está lançando novos produtos, ampliando a plantação de cana e dando uma virada no aspecto social da empresa.
Por essa e outras, a senadora KÁTIA ABREU tem mesmo que lutar para acabar com essas palhaçadas do governo.

Anônimo disse...

A CNA tem razão.
Aquela campanha é odiosa, prega o terror, desastabiliza o campo, estimula a violência.
Aliás, essa informação lembra o caso da PAGRISA. A empresa está derrubando, caladinha, na Justiça, uma por uma das acusaçães que aquele procurador amaulcado (louco por câmeras)e o Procurador Careca, fizeram para "libertar" mais de mil empregados da empresa. E junto com as vitórias na Justiça, a empresa está se recuperando. Modernizou não só a colheita(nunca mais recontratando os demitidos isto é, a ação do Ministério do Trabalho contribuiu para desempregeo grave no Pará. Foram substituídos por máquinas), mas a fábrica como um todo; está lançando novos produtos, ampliando a plantação de cana e dando uma virada no aspecto social da empresa.
Por essa e outras, a senadora KÁTIA ABREU tem mesmo que lutar para acabar com essas palhaçadas do governo.

Anônimo disse...

A CNA tem razão.
Aquela campanha é odiosa, prega o terror, desastabiliza o campo, estimula a violência.
Aliás, essa informação lembra o caso da PAGRISA. A empresa está derrubando, caladinha, na Justiça, uma por uma das acusaçães que aquele procurador amaulcado (louco por câmeras)e o Procurador Careca, fizeram para "libertar" mais de mil empregados da empresa. E junto com as vitórias na Justiça, a empresa está se recuperando. Modernizou não só a colheita(nunca mais recontratando os demitidos isto é, a ação do Ministério do Trabalho contribuiu para desempregeo grave no Pará. Foram substituídos por máquinas), mas a fábrica como um todo; está lançando novos produtos, ampliando a plantação de cana e dando uma virada no aspecto social da empresa.
Por essa e outras, a senadora KÁTIA ABREU tem mesmo que lutar para acabar com essas palhaçadas do governo.

RS disse...

Anônimo, você está mal informado sobre o caso Pagrisa e quanto à campanha o que ela prega é que a gente procure saber a origem da carne que come.
Se a estabilidade do campo no Pará depende do trabalhado escravo, do desmatamento ilegal e de outras práticas criminosas só me resta recorrer ao Rappa e dizer que essa é a paz que eu não quero seguir.
Paz sem voz, não é paz, é medo

Anônimo disse...

RS, me desculpe, mas foi triste seu comentário. Realmente se a Senadora Katia Abreu transferir seu titulo para o Pará pode ter certeza que pela 1ºvez na minha vida votaria no DEM. O MP quer é aparecer e se aproveita da imprensa foclórica para disseminar a Casa Grande e Senzala que querem mostrar ser o Estado do Pará. Tem que devolver o $$ mal aplicado.

Na Ilharga disse...

Hoje a Globo News estampou reportagem direto do município de Pirenópolis(TO), terra da Miss Desmatamento, denunciando que quem estava tomando conta da delegacia de polícia era um detento porque o delegado, o investigador e o escrivão haviam saido.
Deve ser esse o modelo de segurança pública que a senadora tocantinense defende. Égua!

Mariana M. Thomé disse...

Dinheiro mau gasto é o empregado nas campanhas eleitorais...
O consumidor deve e necessita ter saber de onde vem seu belo bife do prato! Deveria tb existir a "Soja Legal", a "Água Engarrafada Legal"...e tudo o que vem parar nas nossas mesas. Quem deve...teme!

Anônimo disse...

Eu sou eleitora apartir de agora se ela vier para o PARÁ, que venha!!
adorei a ideia da mudança de domicilio...Venha defender nosso PARÁ Katia Abreu

Anônimo disse...

Essa Kátia Abreu é ma palhaça. ela tem um problema pessoal cntra a Ana Júlia, desde a época em que a gova era senadora. A própria Kátia já falou isso quando veio exigir a intervenção federal no Pará. Na ápoca o procurador geral do Pará, mostru que existem mais de 20 pedidos de intervenção federal no Tocanins, Estado da tal senadora. é macaco não olha mesmo pro próprio rabo.

Anônimo disse...

Quanto mais pessoas contra a Ana Júlia, melhor. Afinal, que respeito e consideração ela merece como chefe do Poder Executiva e como política?
Saiu pior do que a encomenda.

Anônimo disse...

Vida longa a Kátia Abreu. E voce reporter deveria discriminar menos as pessoas e respeitar suas posições.
É preciso vir de fora para defender o Pará.

Anônimo disse...

É equivocada a ação do MP pois dissemina, sem prova alguma, a falsa idéia que a maior parte da produção agrícola é fruto de algum crime trabalhista. Se existe escravagismo ou crime ambiental a obrigação do MP é indiciar os criminosos e não colocar sob suspeição todos os produtores da amazonia.
O Sr. "Na Ilharga", com sua lógica estapafúrdia, até pode presumir que a Senadora apoia agum modelo de segurança (??!!) por haver invasão de uma delegacia por criminosos em Tocantins, mas dos caros e intocáveis procuradores esperava-se no mínimo um pouco mais de cidadania e respeito à Lei, que, como se sabe, presume inocencia até prova em contrário.