Pages

segunda-feira, 19 de julho de 2010

PT vai botar panos quentes na crise com o PDT

A coordenação de campanha do PT trabalha neste momento para colocar panos quentes na crise com o quase ex-aliado PDT.
A sessão pede-desculpas-promete-resolver-tudo será logo mais às 8 da noite.
Foi chamado o prefeito de Pau D’ Arco, Luciano Guedes, representante do PDT no conselho político da coligação “Frente Popular Acelera Pará”.
Quem levou o convite a Guedes garantiu que “a ordem de Ana Júlia Carepa é atender a todas as demandas” da legenda presidida por Giovanni Queiroz.
Queiroz havia proibido pedetistas de qualquer encontro com gente do PT até que as reivindicações fossem atendidas. Mas, diante de tão desesperado apelo, aquiesceu: Guedes irá ao encontro dos petistas. Será recebido com tapete vermelho, ouvirá mil e uma promessas e deve sair de lá reforçando o apoio do PDT a Ana Júlia Carepa.


Memória
O imbróglio atual teve como pivô a demora na nomeação de Rosymary Neves Teixeira, indicada do PDT, para a diretoria-geral do Detran. O cargo fez parte das negociações para apoio à reeleição de Ana Júlia Carepa.

12 comentários:

Charlles Anderson disse...

Crianças... tsc tsc.. fazendo tolice cedo.

Sílvia Sales disse...

Como diria um amigo meu, só não chegamos ao fundo do poço porque roubaram o poço. Putz!

mapinguari disse...

Se Donana fosse dada a leituras profundas, eu diria que estava praticando essa frase maquiavélica (de Maquiavel, pessoal): "Nunca faltaram aos príncipes motivos para dissimular quebra de fé jurada".
Bom, a frase escandalizou até Napoleão Bonaparte, mas parece ser ingênua e óbvia diante das coisas que acontecem nesta boa terra de Pindorama e na Província do Grão Pará.
Como eu e os demais profetizamos no post anterior, cumpriu-se a sina: concedeu-se algo e em troca vieram afagos e carinhos, perdão e esquecimento que deixam todos os príncipes alegres e pimpões. Novidade? Nenhuma.
Ass. Mapinguari, o Nostradamus da Serra Pelada.
P.S. Luciano Guedes é aquela sombra de Giovanni Queiroz que luta por Carajás como se disso dependesse a prória vida?

Anônimo disse...

Vá lá PDT.

Se vocês acreditam em papai Noel, cegonha e pensam que estão, junto com Alice, no país das maravilhas... vão lá e voltem a acreditar em contos da caronchinha.

Jader, e olha que era o JB, ficou quase 3 anos e 1/2 indo e vindo nas promessas do PT, até que cansou e puxou o "tapete vermelho" debaixo dos pés da thurma de trapalhões que governa o estado.

Anônimo disse...

Quem leva o detran?Carmona ou Giovani Queiros???
Aposto em Giovani Queiros.

Anônimo disse...

A Ana deveria dar férias definitivas para o André Farias, Martins e Botelho, protagonistas dessa lambança no "é dando que se recebe".

Anônimo disse...

Pagando bem, que mal tem? Nada que não se resolva com umas verdinha, uma em cima da outra, né? Como diz a aquela musiquinha: "É isso aíííííí..."

Sílvia Sales disse...

Rita,

Vem mais chumbo grosso por aí. Depois do caso PDT, os outros partidos vão chiar. Vixi, vai ser um Deus nos acuda. Paresqui que, veja só, até os partidos nanicos estão numa grita geral. É a coligação que desacelera. Chegou a acelerar?

Ah, meu pequeno mapinguari teu texto é inconfundível.

Abs.

Bia disse...

Bom dia, Rita:

enquanto lia o post, pensava que conheci a expressão "botar panos quentes" na boca da minha mãe.

Ela usava isto quando se referia a um problema de família, porque "botar panos quentes" era uma forma de suavizar uma tensão que seria resolvida amigavelmente, fraternalmente. Enfim, uma questão menor que não precisava ser alargada. Não era para indicar que deveria ser uma questão escondida ou ignorada.

Quando vejo essa expressão aqui, penso que o uso que minha mãe dava só guarda pequeníssima semelhança: a palavra "famiglia". Mafiosa. Perniciosa. É isso. É só essa a semelhança.

Abração.

RS disse...

Bom dia caras Bia e Sílvia. Como sempre no final, a culpa é da imprensa

Anônimo disse...

Onde escrito "panos quentes", leia-se "nomeaçõe$ e bene$$e$ cumpanheras".
Com o dinheiro público, claro.
Igual a todos.

Bia disse...

Bom dia, Rita:

voltei para corrigir meu comentário. Na verdade, chamar a família que acelera de "famiglia" é uma brutal ofensa. A Máfia tem a lealdade - sem juízo de valor - como princípio.

Abração.