Pages

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Defesa

Está pronta a defesa de Luiz Afonso Sefer contra a impugnação feita pelo Ministério Público Eleitoral. Quem assina é o advogado Inocêncio Mártires que comanda o jurídico da coligação “Frente Popular Acelera Pará”.

8 comentários:

Anônimo disse...

Quer dizer: o advogado da coligação da GOVERNADORA dfendendo o pedófilo.
Com a palavra Ana Julia, ou que tal, Fábio Castro, assim como o fez para defender a coligação com o PTB de Duciomar.

Anônimo disse...

Ah, sim, complementando a postagem anterior, talvez Fábio Castro defenda ardorosamente a composição com o sub prefeito porque o mesmo mora em Anannindeua (Lago Azul ou condomínio de luxo vizinho) e não sofre o que nós belenenses sofremos da má administyração do Duciomal, ele está sob a jurisdição de um pemedebista Helder Barbalho, e assim não entende porque a população de Belém reclama tanto de Duciomal, o do PTB, que acham?

Anônimo disse...

Parci,
Meu velho, petista defendendo pedófilo? kkkkkkkkkkkkkkkkkk O que uma candidata desesperada por votos não é capaz de fazer, não é mesmo deputado? É muita cara-de-pau dessa gente...

mapinguari disse...

Inocêncio Mártires, quem diria, acabou no Irajá...

Ass. Mapinguari, que vai tentar vender para o sebo, por 20 cents de euro, um certo livro com dedicatória que mantinha na estante.
P.S. Sorte do livro se conseguir ser vendido. Caso contrário vai direto para a lareira no próximo inverno.

RS disse...

Não tenho procuração para defender o Inocêncio, mas ele é, sem dúvida, um dos melhores advogados eleitorais do Estado. Natural que pegue causas difíceis como me parece ser o caso. Não concordo com a candidatura do Sefer por razões que já deixei mais do que claras aqui, mas acho que o advogado deve ser livre para tomar a decisão profissional de defender ou não um acusado.

mapinguari disse...

Lady Rita, concordo com você. Defende quem quiser, desafios profissionais estão aí para isso.
Mas, por essas e outras, ouço todas as piadas de advogado sem rir, pois acho que é tudo verdade. #fato

Anônimo disse...

O tal advogado homönimo não acabou no Irajá. Acabou no pedofilocracia liderada por Ana Júlia. Faz sentido.

Anônimo disse...

Ah! Rita, defender ou não um pedófilo, que tu já deixaste muito claro porque o consideras culpado, passa por critérios éticos que tem tudo a ver com respeito pelo outro e pela sociedade da qual faz parte, é o que penso e Mártires deve ter faltado essas aulas sim, ou necessita urgentemente de uma pós, não precisava esse tua defesa.