Pages

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

À Link o que é da Link: Glauco Lima responde a Edson Barbosa

Interrompo, de novo, meu recesso para postar uma carta que recebi, via e-mail, do publicitário Glauco Lima sobre sua participação na campanha de Ana Júlia Carepa

Publico na íntegra

"Eu tinha decidido não falar nada sobre a campanha de comunicação de Ana Júlia em 2010. Tinha deixado isso para bem depois, para quem sabe quando, distanciado do calor eleitoral e da fogueira de emoções, talvez eu fizesse um relato do que eu vi, ouvi e vivi, nesta que foi uma das experiências mais angustiantes dos meus 25 anos de atuação em propaganda e marketing.

Mas a referência feita pelo senhor. Edson Barbosa em entrevista ao jornal Diário do Pará, no dia 15 de novembro de 2010, me obriga a fazer um esclarecimento. Na entrevista, o presidente da Link Propaganda sugere ou deixa entender que eu atuei como Diretor de Criação na campanha, o que é uma inverdade absurda e, no mínino, um desrespeito ao verdadeiro diretor e coordenador de criação, o senhor. Theo Crus Neto, que tinha todos os amplos e totais poderes de dirigir a criação e atuar como estrategista, redator, criador de jingles, interagir com a governadora e seus principais assessores.

Se a campanha da Link foi tão boa, ele deveria destacar o nome de Theo Neto e o próprio nome dele, Edson Barbosa, já que Theo não cansava de repetir quase como um mantra, “ nessa campanha o marqueteiro, quem dá a palavra final, quem decide o que sai e o que não sai, é o Edson Barbosa”.

Quero deixar bem claro que não estou me isentado, me excluindo ou me eximindo de envolvimento nesta campanha. Assumo e confirmo que atuei, que procurei colaborar em tudo o que esteve ao meu alcance. Mas é inaceitável que só agora, depois da derrota eleitoral, os nomes dos profissionais locais sejam lembrados assim, para dar um verniz de integração com os nativos, quando o que se viu na campanha foi um comando centrado na Link, com seus executivos ocupando todas as posições decisórias e definindo os rumos tanto na pré-campanha, de março a junho de 2010, como na campanha em si, de julho a outubro.

A declaração de Edson Barbosa me obriga a fazer um relato da minha atuação neste trabalho que tentou reeleger Ana Júlia para o Governo do Pará. Para mim, a campanha começou em outubro de 2009, quando fui chamado pelo consultor Paulo Heinneck e pelo secretário de comunicação Paulo Roberto Ferreira, para influenciar mais diretamente na comunicação institucional, já que, embora minha então agência, a DC3 Comunicação, tivesse contrato com o governo, eu nunca tinha participado da definição da propaganda conceitual e informativa do governo.

Atendendo ao pedido de extrema urgência, coloquei no ar uma campanha, que foi de novembro de 2009 a março de 2010. Esta sim eu assumo e assino como Diretor de Criação. Neste período, embora as pesquisas quantitativas feitas por instituto local, já acusassem um pequena melhora na avaliação do Governo, sugeri que era preciso algum reforço, eram necessários estudos qualitativos para avaliar se o rumo estava certo, para fazer ajustes e refinar cada vez mais a campanha.

Mas, para minha surpresa, em março de 2010, fui comunicado da contratação da Link Propaganda, para ser uma espécie de consultora para orientar e definir toda a comunicação do Governo. Eu poderia ter rompido, me desligado do cliente, me afastado diante desta intervenção. Mas acreditei que com o aparato que a Link tinha, com as possibilidades de trazer profissionais experientes, promover pesquisas no Estado todo, investigar mais, com toda a expertise que alardeava, o reforço poderia ser positivo e ajudar no complexo esforço de levar o governo a um bom desempenho eleitoral.

Entendi que pular do barco naquela hora, de um governo já cheio de fragilidades, seria até desleal e continuei, mesmo num papel secundário e muitas vezes terciário, contribuindo para que a comunicação fosse cada vez mais eficiente.

A Link tinha o respaldo das pesquisas, de seus profissionais seniors, teve verba para fazer estudos que eles diziam serem inquestionáveis, que orientaram a escolha da linha “É a vez do Pará, pra você”. A campanha “A grande obra é melhorar a vida das pessoas” foi erradicada, a Link fez questão de não deixar nenhum vestígio do trabalho, mudou tudo e se deu ao requinte de pedir para que fossem tiradas até placas, como as colocadas perto de obras como o Ação Metrópole, que diziam “A obra é grande, mas a maior é melhorar a vida das pessoas”. Tudo foi apagado e só prevaleceu o conceito e as idéias da Link.

Já na campanha eleitoral, em julho, a Link tinha ocupado todos os espaços possíveis e imagináveis e estabeleceu o tema, que depois veio se confirmar desastroso até por eles mesmos, o “Acelera Pará”. Quando eu vi esta campanha, em encontro feito em num hotel em Belém, a linha estava determinada, o caminho era aquele e foi vendido como o grande mote para alavancar a candidatura de Ana Júlia.

Quero reafirmar aqui que propaganda tem que ter unidade, que acredito que é preciso ter uma cabeça que estabelece a linha, a defenda e se responsabilize por ela. Uma vez que o comando político definiu que o comandante era Edson Barbosa e sua Link, ou você concorda e tenta ajudar no que está definido ou vai cantar noutra freguesia.

Eu resolvi ficar, colaborar humildemente, fazer minhas críticas dentro, discordar, sem deixar vazar as discordâncias, alertar, muitas vezes banquei o chato, o advogado do diabo. Mas tudo o que eu dizia não era acatado, nada era aproveitado e parecia que eu não conseguia captar tanta inteligência, sabedoria, criatividade e acertos geniais.

Mas a Link era a agência da campanha, o Edson Barbosa foi o engenheiro responsável pela obra. Quero ressaltar aqui que a campanha, boa ou má, fraca ou forte, tem que ser assumida pelos seus autores. O Fernando Pena de Carvalho, Presidente da Digital foi citado e nunca foi chamado sequer para opinar sobre a cor de um cenário. Fazia apenas o que a Link determinava. A Ruth Vieira, paraense, contratada da Link, tinha funções operativas, nunca vi a Ruth numa reunião de comando dando opiniões. Essa coisa de citar as pessoas daqui, só agora, é muito injusto e até revoltante, diante do que passamos nestes meses.

O próprio Maurílio Monteiro pode confirmar tudo isso. Só quem mandava era o Theo, o João Lucas, a Ângela, os altos executivos da Link. Não estou aqui questionando a capacidade destas pessoas, só quero o Edson Barbosa assuma claramente os papéis de cada um e reconheça que tinha em mim e em outros profissionais locais, uma equipe de suporte, chamada para ajudar em assuntos locais, em tarefas obreiras, tanto que a Link me deu um insólito crachá de “Assistente de Coordenação” e agora no jornal vem me chamar de Diretor de Criação.

Outro ponto que quero deixar bem claro é que não sou contra a presença de empresas de outros Estados. Assim como quero que a empresas de comunicação do Pará busquem mercados pelo Brasil e pelo Mundo. Eu mesmo cheguei a sugerir a contratação, em janeiro de 2010, de uma consultoria para nos ajudar no trabalho.

Apesar de tudo isso, fiquei sim na campanha, atendi a pedidos de altos dirigentes do partido, até mesmo da própria governadora Ana Júlia, pessoa a quem respeito muito. Essa campanha, boa ou ruim, faz parte do meu currículo, nunca vou negar, mas não aceito que ocultem ou distorçam a verdade. Se eu tivesse que definir meu papel nesta campanha, diria que fui um produtor mais qualificado, um interlocutor com alguns setores locais, um papel com limitadíssimo espaço de influência, que foi gradativamente sendo encurtado, ao ponto de nas semanas finais eu já quase nem ir na produtora. Mas fiz meu trabalho, evitei atrapalhar, gerar ainda mais crises, talvez tenha falhado em não brigar mais por meus pontos de vista, mas tenho a consciência tranquila que honrei a unidade, o grupo, o cliente que me contratou, mesmo correndo o risco dos desgastes graves que sofri.

Para concluir quero lembrar que sempre falei que a comunicação não pode ser apontada nem como a santa salvadora, nem como a vilã destruidora. Comunicação faz parte de um grande mix e conforme a maneira como é feita, pode ajudar ou atrapalhar. No caso desta campanha, o próprio Edson Barbosa me falou entre o primeiro e o segundo turno, que aqui na campanha de Ana Júlia isso não era bem verdade, porque a comunicação feita pela Link tinha sido mais que comunicação, tinha sido decisiva na gestão, na condução política, nas sugestões para a administração e que por isso teria uma responsabilidade muito maior do que geralmente se atribui ao marketing. Portanto está aí, independente de julgamentos do que foi feito, a Link e Edson Barbosa que assumam suas responsabilidades técnicas e não fiquem querendo repartir a derrota com ninguém, porque eu tenho certeza que não repartiriam a vitória com ninguém que não fosse do seu seleto time".

Glauco Lima

45 comentários:

Anônimo disse...

Acho que a Link conseguiu ultrapassar a Ana Júlia em rejeição.

Abilio Couceiro Filho.

Lato&Sensu disse...

Me assusta a ética desses Paraenses que se prestam a aceitar um contrato e depois abrem a boca contra a empresa a que serviram.

Quer saber? A link prestou um serviço muito bom diante da imagem desse governo de interdição democrática. Pronto, Falei!

Esse poster, ao quebrar a ética do contrato para atacar a LINK e cerrar fila em favor do outro colega paraense, fala mais da moral dos petistas do que do erro do baiano.

Alexandre disse...

Enterrem já esses defuntos.... kkk


Qnt mais mexer,pior fica.... kkkk

LatoeSensu disse...

Deixar claro. Rita, que minhas palavras anteriores não se referem a você, mas a esses que se prestam a trocar acusações atropelando princípios éticos.

Se bem que eu confesso que espero mais análises pertinentes sobre todo a movimento político em curso.

Anônimo disse...

Grande Glauco! A verdade, enfim, apareceu. Nua e crua. Como precisa. Agora, a crítica deixa de ser "de fora", vinda de um "concorrente", de um "desafeto", para manifestar-se a partir de dentro, mostrando, de maneira singela, que o dono da Link mente. Usar paraenses como escudo humano para seus erros é mais uma prova da falta de ética da Link e de seu presidente.

Anônimo disse...

Abilio, a Link, que se diz contratada "pelo PT", foi vaiada, de pé, em plenária de petistas, no começo do segundo turno. A rejeição da Link é bem maior que a de Ana Júlia, com certeza.

Anônimo disse...

Rita, não adianta. Esse seu recesso já foi completamente desmoralizado.. hahahahahaha! Jornalismo é isso: sacerdócio.

Anônimo disse...

Ritinha, que foi que disse que as coisas "estão meio paradas"? Pelo menos no seu blog não estão!

Anônimo disse...

Acho que deve-se encarar como normais esses comentários e críticas da campanha e seus bastidores numa eleição.
Nas anteriores foi a mesma coisa. Lembra quando o Almir Gabriel foi derrotado? Os primeiros culpados apontados foram os responsáveis pelo marketing. Lá dentro, como hoje, houve troca-troca de acusações, só que não vieram à tona como agora.
Pode perguntar pra qualquer um que viveu aquele tempo.
Depois, tudo se esquece. Ninguém se espante se a Link aparecer por aqui de novo.

Anônimo disse...

Não há exemplo mais claro do que aconteceu na eleição do Pará do que esta "lavagem de roupa suja" entre "campanheiros" petistas a não ser a própria realidade do governo "autista" da DS da Ana Júlia.

Anônimo disse...

Em 2008 Orly conduziu a campanha de Valéria Pires Franco. A mulher, do nada, chegou a ostentar 27 pontos de intenção de votos e era tida como franca favorita. O PT começou a bombardeá-la e logo ela começou a cair. Orly foi crucificado. Apanhou nos blogs, apanhou nas conversas de botequim, apanhou por SMS e só não apanhou pelo Twitter porque não tinha naquela hora. Assim é a vida. Toda eleição, quem ganha dá uma de "ganhamos porque nosso candidato foi superior" e todo mundo que perde malha o judas da comunicação. O que há de novo nisso? Nada. É assim que a coisa funciona. Quando um time ganha o campeonato, foi o artilheiro que ganhou, mas quando perde foi o técnico que perdeu. É da lógica do processo. Mas tem gente aqui que acha que isso é "despeito", "competição desleal" e outras babaquices. Não é, amiga. É a vida cumprindo o seu ciclo. O Judas da hora é a Link. Pau nela!

Anônimo disse...

O postador anonimo das 15:03 vê petistas em conflito. Engana-se. Profissionais de comunicação não tem cor partidária. A 3D que fez a campanha de Jatene na eleição passada estava com o DEM e na anterior com o PT, assim como muitos dos profissionais que agora trabalharam para o PSDB foram PT em 2006 e vice-versa. Não é um jogo entre torcedores, é um jogo entre jogadores, que vestem e suam a camisa para obter a glória e ganhar o pão de cada dia. Esse negócio e agência de direita ou de esquerda, de profissional de comunicação de esquerda ou de direita é balela. São profissionais no mercado. Quem pagar mais leva. É assim em tudo. Ou não é?

Anônimo disse...

Cumpanherus, acalmai-vos.
Descobrimos o culpado pela derrota de Ana Júlia e seu super-mega-ótimo-governo-pai-dégua-de-bom.
Tem nome e sobrenome: Simão Jatene.

Anônimo disse...

Democracia é lavar a roupa suja em público, meu caro anônimo das 15:03. Temos que saber disso. Nos países centrais, é assim que faz. Esse negócio de ficar falando às escondidas, pelos corredores, é coisa de pervertido e de gente autoritária. As pessoas têm que dizer o que pensam e arcar com o ônus de tornar isso público. Essa idéia de "lavar a roupa suja" entre quatro paredes não serve ao espírito de transparência que deve nortear os interesses públicos.

Rafael Correia, sociólogo

Anônimo disse...

Anônimo das 16:11, Simão Jatene ganhou essa eleição de bandeja como Jader ou Almir ganhariam essa eleição de bandeja se a incapacidade de dizer o que fez de Ana Júlia fosse a mesma. O governo de Ana Júlia foi tão melhor que o governo de Jatene que este sequer teve apoio de seu partido para disputar a reeleição. Mas Ana Júlia não disse, ninguém disse e ficou o não dito por dito e o maldito preguiçoso virou governador, para desgraça geral do Pará.

Anônimo disse...

Porrada neles, Glauco!

Anônimo disse...

O anônimo das 13:03 acha que ético é calar a boca. Não é não. Ético é falar a verdade. Sempre. E o Glauco, como testemunha dos fatos, está em melhor condição de apontar o dedo do que o Chico Cavalcante, que especula com base no que ouviu falar e no que o dono da Link disse. É ético, extremamente ético, colocar os pingos nos iis. Parabéns, Glauco, pela coragem de dizer, com todas as letras, que o dono da Link mentiu na entrevista ao Diário. Se mentiu nisso, por que não teria mentido em tudo o mais?

Anônimo disse...

Chamar o governo de Ana Júlia de "autista" é um desrespeito aos autistas.

Anônimo disse...

Cabe apenas informar que o Chico ñ fez a campanha de Camilo Capiberibe no Amapá.

Fez os três primeiros programas de TV, que ficaram muito ruins por sinal. A campanha lá foi tocada pela Luciana Capiberibe, com apoio do Walter Júnior.

Concordo com várias das opiniões do Chiquinho sobre a condução da campanha da Ana Júlia. Mas não dá pra ele querer capitalizar uma vitória que não é dele.

O Chico também teria que ter a modéstia de assumir que a mídia do governo era muito ruim. E que foi a principal responsável pela candidata chegar à eleição com a rejeição nas alturas.

Faz muito tempo que a Vanguarda virou fraquinha, fraquinha.

LatoeSensu disse...

Leio e constato que há aqui os que concordam com a "lavagem de roupa suja" justificando a importãnca de se conhecer a verdade. Pergunto, qual verdade? Nada do que está dito pelos lados que se acusam interessa mais a alguém do que aos própios. A única verdade que talvez possa nos interessar ai é aquela que não foi confessada: Eles disputaram o comando da estratégia para dobrar, pela força da propaganda, o entendimento do povo. Agora, um acusa o outro de ter sido ineficiente no uso do expediente.

Essa discussão passa longe dos motivos que levaram a derrota da Ana Júlia. Na verdade, ela desconstrói a inteligência de quem lê, porque conduz o raciocínio para outros pontos e esconde o principal. A derrota do PT, do Governo do PT, não se deve à estrategia de marketing errada, não se deve à insuficiência da política de comunicação do governo. A derrota se deve ao fato de que cada cidadão desse Estado avaliou esse como o pior governo em todos os aspectos e resolveu entregar o comando a outro partido. O Governo Ana Júlia foi o pior da história recente do Pará; é o pior dentre todos os governos petistas do Brasil. A verdade é tão simples que chega a causar escândalo. Mas a imprensa insiste em dar publicidade a essa disputa pessoal que está em curso, sem nada explica ou esclarecer sobre o que está por trás das pretensões deles. É justamente o que não se explica o que nos interessa.

Observem, meu amigos, que o pano de fundo na disputa dos dois lados é a ineficência da mentira petista que foi contada por meio de uma técnica de convencimento chamada propaganda. Eles queriam fazer a população crer que esse foi um bom governo sem que realmente tivesse sido, e o povo não aceitou. Agora, eles estão em franca disputa porque o povo não se deixou levar pela estratégia, não engoliu o engodo da propaganda.

Será que ninguém consegue perceber que se o marketing fosse eficiente e tivesse trazido o resultado em favor da Ana Júlia a realidade do Estado seria a mesma? Se a mentira contada tivesse prevalecido e gerado o resultado, estariamos mais vivendo um momento de euforia petista, pois mais próximos da continuação do mandato de um governo que se baseou em escândalos, ineficiências, aparelhamentos da máquina, favorecimentos pessoais, etc.

Anônimo disse...

LatoSenso, você é um tucano. Fala como torcedor. Ninguém aqui está "disputando o comando da estratégia para dobrar, pela força da propaganda, o entendimento do povo". È justamente o contrário. O que está em disputa aqui é a ineficiência da campanha de Ana Júlia de mostrar seu verdadeiro governo, enquanto a campanha vazia e sem conteúdo, sem verdade, de Jatene dobrou a verdade ao meio e vendeu seu nada como se alguma coisa fosse. Jatene foi um péssimko governador e será um péssimo governador, porque agora sequer tem um guia, como teve no primeiro governo, que era Almir Gabriel. Jatene mentiu ao dizer que o governo de Ana Júlia, por exemplo, perdeu a copa. A decisão da copa era da Fifa e foi tomada COM BASE NA INFRA ESTRUTURA IMPLANTADA, que fora deixada pelos tucanos, já que quando essa decisão foi tomada ela estava a apenas 1 ano e oito meses no governo, tempo insuficiente para REMONTAR A INFRA ESTRUTURA PRECÁRIA DEIXADA POR JATENE. Você não é ignorante. È só tucano e como tal coloca um tijolinho no muro de mentiras que ajudaram vocês a enganar o povo nessas eleições, graças à fraqueza dos incompetentes que, ao lado de Ana Júlia, compraram esse discurso calhorda de que o governo atual seria pior do que o governo passado. Bata os números área por área e verá. Ana Júlia foi melhor em tudo. Menos no marketing.

Anônimo disse...

Chico Cavalcante fez a campanha de Camilo Capiberibe no Amapá. A equipe que trabalhou com ele no primeiro turno foi composta por Giorlando Lima, Sérgio dos Santos, Fábio Castro, Vicente Cecim e Pedro Mantovani. Luciana Capiberibe fez a COORDENAÇÃO POLÌTICA DE COMUNICAÇÂO. Giorlando Lima saiu para assumir a campanha de rádio no Pará. No segundo turno, a equipe de Chico Cavalcante teve a adição de Walter Jr, que fez o marketing de JOÃO Capiberibe no primeiro turno, mais Moisés Magalhães, diretor de cena e Gasparzinho, diretor de arte. Os recibos de prestação de contas da campanha, incluindo os pagamentos da Vanguarda, já estão no TRE local, comprovando a prestação de serviços. O que pode levar um animal como o anonimo das 20:24 a vir aqui mentir de maneira deslavada a não ser a mais pura falta do que fazer..

Pedro Mantovani

Anônimo disse...

Em resposta ao anônimo 20:04, que usa mentiras para tentar turvar o debate salutar aqui estabelecido:

1. A Vanguarda fez sim a campanha de CAMILO Capiberibe, no primeiro e segundo turnos. Os recibos de prestação de serviços, assinados pelo coordenador financeiro do PSB local estão aqui comigo e podem, generosamente, ser enfiados na sua boca. Basta vir aqui na agência e pedir para falar comigo. Para sua informação, Luciana Capiberibe foi coordenadora de comunicação de toda a campanha e Walter Jr, que fez a campanha de JOÃO Capiberibe no primeiro turno, somou-se à equipe de CAMILO no segundo turno, sendo peça importante nessa estrutura que somava duas dezenas de profissionais, dos quais se destacam Sérgio Santos, Fábio Castro, Moisés Magalhães e Gasparzinho.

2. A Vanguarda não é uma empresa, mas três. A Vanguarda Propaganda cuida apenas de contas públicas, atendendo, de forma contínua ou por consultoria, clientes em 9 cidades do Pará, uma em Minas Gerais e uma no Ceará. A Vanguarda Inteligência Política faz campanhas eleitorais, planejamento estratégico e assessoria de projetos e atende a clientes em 5 estados da federação, já tendo atendido, por dois anos, o marketing nacional do PT. A V2 Vanguarda atende apenas a contas de varejo, tendo em sua carteira ativa 11 clientes na atualidade.
Somamos mais de 60 profissionais em diversas unidades de trabalho.

3. Estamos entre as 60 melhores agências do país de acordo com a seleção da revista About (The Hot Tops) e entre as mais premiadas fora do eixo Rio São Paulo, com peças incluidas em bíblias da propaganda moderna como The New York Festival, Creativity, Art Directors. Somos a única agência brasileira premiada com o Prêmio Tocororo, de Cuba, para propaganda sem fins lucrativos. Dentre as premiações nacionais colecionamos Ouro no Prêmio Central de Outdoors, Colunistas, Prêmio Voto Popular, A nova identidade visual do Banpará, criada pela Vanguarda, foi premiada em 4 anuários de design: Estados Unidos, Canadá, Espanha e Austrália.

4. Bem, se isso é ser "fraquinha", procure então pela Talent, pela Africa ou pela DPZ que são, sem dúvida, mais fortes que qualquer agência local.

Chico Cavalcante

Anônimo disse...

Todas as "informações" prestadas pelo anônimo das 20:04 sao mentirosas e tem por objetivo, simplesmente, denegrir a imagem de Chico Cavalcante e de sua empresa. Esse tipo de mesquinharia é que deveria ser mediada pela titular do blog. Mentiras como a que Cavalcante não esteve na campanha do Amapá já foram rebatidas e voltar a elas mostra, no mínimo, falta de imaginação.

LatoeSensu disse...

Ao anônimo das 00:53.

"LatoSenso, você é um tucano".

Não, não sou! Penso até que posso está a seguir uma linha que faz com que eu pareça bem pior para você. Dado aquilo que seu partido, o PT, se tornou, eu melhor me enquadro na categoria dos "ANTI PT". Isso, na verdade, me obriga acidententalmente a falar em favor do PSDB, mas não me faz tucano.

Contra os Tucanos tenho muitas críticas de toda ordem na mesma medida em que reconheço coisas boas realziadas pelo governo petista. Só não cabe descrevê-las aqui e agora porque o assunto e o momento são outros.

Recomendo que não confudas quem critica a ação do teu partido com quem odeia os militantes. Eu sou amigo do homem e não do "pecado" dele e isso, às vezes, me obriga a criticar as pessoas pelo que elas fazem e não pelo que elas são.

Detalhe imprescindível. Um progressista sempre acredita que as críticas são importantes. Pois é... trabalhe com elas nesse momento.

Bia disse...

Bom dia,Rita:

repito aqui parcialmente o comentário que acabo de fazer no Bemerguy, que cita o depoimento de Glauco Lima.

Embora alguns reputem essa discussão entre marqueteiros e/ou publicitários como importante, a mim, cada vez mais, cheira lavagem de roupa suja na hora e nos tanques errados, para quem não quis, não pode, não teve interesse (ou teve interesses outros para defender) de se posicionar na hora certa.

Nesse aspecto o depoimento de Glauco Lima é um primor para reforçar minha opinião. Ninguém era ouvido nem "cheirado", todos foram profissionalmente desrespeitados e nos vemos entre anjos indefesos! Céus!E só agora os arcanjos vêm a público ranger os dentes.

Aprendi em casa, e me acostumei a morar debaixo da minha cabeça. Por isso, não tenho grande apreço por essas catarses.

Na minha vida, pessoal e profissional, sempre houve um limite: minha coluna vertebral e meia dúzia de três ou quatro princípios inabaláveis, sem preço.Nem mesmo o da sobrevivência porque sei fazer comida pra vender, como já fiz há anos, quando o momento me excluia do que habitualmente eu sabia fazer melhor.

Não. Não tenho a menor simpatia ou comiseração por esse chororô de bens postos na vida, mas que..etc. e tal.

Mas, registro, no entanto, minha admiração por você abrir aqui a exposição da nossa vil tristeza. Nossa, porque as ações aqui expostas afetaram com certeza corações e mentes. Vil, porque ainda que sejam atividades privadas, foram colocadas à disposição da irresponsabilidade pública e profissional.

Abração procê.

Anônimo disse...

Pois é, anônimo desavisado. O Chico costuma matar a cobra e mostrar o pau. Não necessariamente nessa ordem. Ahahahahaha!

Anônimo disse...

Não sei se é verdade, mas ouvi dizer que a Link está na cidade. Será que acreditavam tanto na genialidade deles - e na vitória -que nem compraram passagem de volta? Afe!

Anônimo disse...

Ritinha,

Minha querida, não tinha comunicação e nem "marketing" que salvasse o governo da DS/PMMB, cuja marionete era Ana Julia Carepa. Essa turma de "intelingentes" achavam que haviam descoberto o Pará, por isso afirmam que estão estregando um "Pará mil vezes melhor". Essa gente mente tanto que eles próprios acabam acreditando no seu próprio vício. Eles não sabem mais nem o que é verdade. Brincaram de governar, e na campanha achavam que utilizando de forma escancarada, como nunca antes neste Estado, os recursos ppúblicos, fossem coprar a memória do povo do Pará.

Anônimo disse...

Anônimo das 16:11, tinha sim. Bastava que a verdade fosse mostrada e afirmada contra as mentiras de Jatene e seus asseclas. Quem brincou de governar foi Jatene. Você saberia dizer, sem pedir a ajuda dos universitários, uma única obra começada e terminada por Jatene? Não tem. É incompetente. Mas infelizmente foi competente na comunicação. O mesmo aconteceu com Flexa Ribeiro, gazeteiro no senado, que não apresentou nenhum projeto de lei sério nem trouxe recursos para nada, pegando carona na UFRA para inflar sua campanha. Você foi enganado, amigo. Agora só daqui a 4 anos para se arrepender.

Anônimo disse...

Anonimo das 10:01, ao declarar-se como "anti-PT" decretou o fim do debate com você. Eu, por exemplo, não sou anti-nada. Sou a favor do Pará. E por isso sei que o povo, sábio arrependido, ainda terá tempo para perceber que tomou o caminho do precipício levado por uma canção enganosa. É só esperar pra ver. O tempo vence toda ilusão.

Anônimo disse...

Rita, dê isso por encerrado pelo amor de Deus. Já está chato ver jatenistas e anistas se batendo numa espécie de prorrogação ou terceiro turno completamente fora de hora. A eleição acabou. Também acho que o eleitor fez a pior escolha. Mas paciência. Em São Paulo a maioria escolheu Tiririca. Agora é esperar a ressaca, que virá. Com certeza. Lá e aqui.

Anônimo disse...

Credo.
Vamos mudar de assunto? Tá certo que o mercado é fraco mas vcs não tem o que fazer?
Venho aos blogues da minha terra querendo ver novidades, planos de trabalho,sinalizações sobre avanços nas promessas de campanha e só encontro essa merda de conversa de comadre?
Parem com isso e botem a roda pra girar.

Ângela Câmara

Anônimo disse...

Comentários a dois grandes marqueteiros políticos do Pará, Glauco e Chico:

1) Conheco-os pessoalmente, suas capacidades e personalidades.

2) Se tivessem coordenado a campanha de Ana Júlia, certamente, o resultado teria sido melhor e a conta muito mais barata. PH deveria ter sido afastado.

3) Glauco foi afastado gradualmente da campanha. Theo e João Lucas é quem apitava na Link. Depois ainda veio o Edson para reforçar o afastamento de Glauco.

4) Acho que faltou "peito" para Glauco. Foi de diminuindo frente aos baianos e acabou com o crachá de assistente. Já pensou? Que vergonha para um dos melhores profissionais paraenses. Glauco se apequenou, infelizmente.

5) Não se pode atribuir ao Glauco a direção de arte. Não mesmo. Assistente ajuda, não dirige.

6) PH, sempre ele, enganou todo mundo, inclusive o Glauco. Ficou rico nas costas dos otários paraenses. Ferrou com a Ana Júlia.

7) A Vanguarda coordenou SIM a campanha de Camilo Capiberibe no Amapá. Mas, Chico esteve muito ausente. Fábio Castro e Sérgio Santos estiveram lá direto. Ficaram hospedados num hotelzinho e somaram muito na campanha. Chico quase não ia. A Vanguarda fez muito, através da equipe. Chico fez pouco. Faturou SIM pela Vanguarda, mas pelo serviços da equipe e pouco pelo próprio.

8) Parece que a imagem de Chico não ficou boa para a família Capiberibe. Fábio Castro, ao contrário, ficou muito bem visto lá, tanto por sua inteligência, quanto por sua presença e parceria constante. Se isso tiver sido combinado com o candidato, ótimo, a Vanguarda sai valorizada. Chico, parece-me que não.

9) Glauco sai menor do que entrou.

10) Dois grandes profissionais tisnaram suas trajetórias.

Anônimo disse...

A resposta raivosa do chiquinho sobre o amapa diz tudo. O fato é q a vanguarda fez os primeiros programas de camilo. Depois foi afastada. Foram mt ruins os programas. Fabio castro, funcionario do governo do pa realmente ficou la direto, dando consultoria.

O cara tenta capitalizar uma vitoria q o cliente não credita a ele. Ter recebido a grana mostra q ele esteve la, não q conduziu a campanha. Perguntem a luciana, é simples.

Chico tambem, querendo aceitar ou não, foi responsavel pelas desastrosas marcas do governo ana. O "terra de direitos" foi a pior de todas. Tentar vender ao povo q bastava uma petista estar no governo pra q o estado virasse um exemplo de respeito ao povo foi antes de td ingenuo. A comunicação da ana gerou a grande rejeição dela, além da pose e da inabilidade da ds.

O resto q chico fala é isso. A campanha feita pela link careceu de tempero, não deu argumentos a favor da candidata, foi amorfa. Mas a vinda da link é consequencia do trabalho ruim de antes.

O chiquinho e a vanguarda precisam atualizar a forma de fazer campanha. O formato edmilson já era. Edmilson, diga-se, q permitiu a vanguarda crescer, apos 8 anos na prefeitura.

Fora isso e a arrogancia meio ds, chiquinho e glauco merecem o respeito de todos. Varias de suas peças sao mt boas. Chico criou boas campanhas pro proprio diario, pro formosa, pro basa e pra prefeitura de belem.

Anônimo disse...

A comunicação tem cor partidária sim, e mais, tem idologia.

É por isso que este governo foi uma vergonha, pois que acabou contratando todo um staff ligado aos padrinhos e aos grupos de comunicação locais... além de fatiar o poder com irresponsáveis do PMDB e evangélicos ladrões (detran e etc). Os erros da comunicação foi manter o mesmo time de jornalismo, com excessão da gestão de Fábio Castro, que mudou um pouco os profissionais.

Era risível, tanta gente que se dizia tucano e batia no peito de repente mudou de discurso e se dizia petista... agora vão mudar de cor novamente.

E essa cultura ridícula de contratar gente de r edação de jornal, poxa, será que é só esse povo que escreve? e os relações públicas, publicitários, ou mesmo jornalistas de outras áreas (desempregados e independentes) parece que não existem, só gente desses dois jornais de merda. Uma vergonha. Até parece que um reles jornalista vai mudar a política editorial do jornal... não consigo entender o que se passa na mente dessas pessoas que os contratam.

Cada vez mais os partidos tem que conhecer os quadros militantes e pRofissionalizados com a comunicação política e não esquecer destes quadros, mesmo que os dirigentes ou coordenadores dessas comunicação estejam no poder.

A COMUNICAÇÃO TEM PCOR SIM, E A NOSSA, SALVO ALGUMAS EXCESSÕES ESTAVAM ENTREGUES.

Agora essa oportunidades, amigos vermelhos, infelizmente vai demorar para acontecer.

Anônimo disse...

Anônimo das 20:16, ou você está bêbado ou mal informado. Ou as duas coisas. Ora vá tomar... um Engov.

Chico Cavalcante

Anônimo disse...

A frase "ficou rico nas costas dos otários paraenses" demonstra que o autor do comentário das 20:16 não é daqui. Seria de Salvador, meu rei?

Anônimo disse...

Não para, Ritinha, não para, não para...

Anônimo disse...

Rita, voce sabe como ficará a ABCB - Associação dos Blogs Chapa Branca com a vitoria do Jatene?

GASPAR ROCHA disse...

PARABÉNS AO CHIQUINHO, GLAUCO, WALTER, MOISÉS MAGALÃES ENFIM... TODOS.
TOCA MEU CELULAR, É WALTER ME CHAMANDO PARA APAGAR URGENTE UMA FOGUEIRA EM MACAPÁ, LUCIANA LIGA PARA MIM RESPONDO A TODAS AS REFRENCIAS DE MEUS QUASE 35 ANOS DE PROPAGANDA, APROVADA AS REFERENCIAS CHEGO A MACAPÁ, ENCONTRO UMA GRANDE EQUIPE, ALGO QUE NUNCA MAIS TINHA VISTO, REDATORES, DIRETORES PRODUTORES, TODOS ALINHADOS, FELIZES, VI NA CIDADE UMA POPULAÇÃO VIVENDO O CLIMA DE ESPERANÇA. SENTI ALI A RESPONSABILIDADE DE UM SEGUNDO TURNO DE GUERRA. FUI PARA SER DIRETOR DE ARTE E VÍDEO, SENTI QUE FALTAVA UM TOQUE ESPECIAL NAS VINHETAS E NAS INSERÇÕES, CHAMO MEU FILHO EDGAR ROCHA QUE LARGA TUDO EM BELÉM PARA NOS AJUDAR. EQUIPE MONTADA E MÃOS A OBRA, LÁ QUASE 18 HORAS POR DIA FIQUEI JUNTO COM A EQUIPE DO CHIQUINHO E COM WALTER.
PASSEI A CRIAR ALGUNS COMERCIAIS, CENÁRIOS E DIRIGIR, 25 DIAS EM QUE COLOQUEI NA PRÁTICA TUDO APRENDI.
FOI SIM UMA VITÓRIA DA EQUIPE, DO JUNIOR CAMERAMEN, DO CAPULETO PRODUTOR, DO KIKA MOTORISTA JUNTO COM SEU IVALDO QUE NOS LEVAVA DE NE TORTE A SUL NAQUELE MEIO MUNDO SEM MEDIOR ESFORÇOS...
VITORIA DAS MAQUIADORAS, DOS ILUMINADORES.
E EU QUE ME RESRVEI A NÃO FAZER CAMPANHA POLÍTICA DEVIDO ESTAR INICIANDO UMA PRODUTORA EM BELÉM COM MEU FILHO, RESOLVI ATENDER ESTE PEDIDO DA LUCIANA QUE LEVA AQUI TAMBÉM OS MEUS PARABÉNS PELA LUTA E GRANDECONHE CIMENTOI EM MKT POLÍTICO.

PARABÉNS AO EDSON BARBOSA, O QUAL TRABALHAMOS JUNTOS NA MENDES NO INÍCIO DE NOSSAS CARREIRAS,
PARABÉNS A VOCÊ RITA QUE MANTEM ESTE.

ABRAÇOS

GASPAR ROCHA

Anônimo disse...

Parabéns para o Gaspar. Deu parabéns para todo mundo. Parabéns para Jatene, para Ana Júlia, para Juvenil, para Orly, para PH, parabéns para o Dunga, parabéns para o Tiririca, parabéns para o Maurílio, para o Puty, para o Megale, para o Edmilson, para o Jader, para Paulo Rocha, para o Senador do Açai ...
CHEGA !!!!
Agora depois de tantos parabéns idiotas, vamos voltar a falar sem baba-ovo, nem puxa-sacos, sobre os erros e acertos de nossos marqueteiros e políticos.
GASPAR, não venha encher o saco de novo com seus parabéns.
Agora que o Orly deve estar rindo de seus adversários, ah, isso ele deve estar ... lá do estrangeiro...

alessandro disse...

Rita

o que achas da denuncia feita por vereadores de Pirabas contra o Prefeito Claudio Barroso e que o Bara repercutiu.

abs

alessandro

Anônimo disse...

Pirabas? Como é que esse comentário veio parar aqui, Rita? Me explique!

. disse...

Vou falar pra vcs para o que essa picuinha serviu: Fábio Castro recebeu elogios pelo seu trabalho no AP!
Amém!