Pages

sábado, 6 de novembro de 2010

Chico Cavalcante diz que a Link foi responsável pela derrota de Ana Júlia

Responsável por todas as campanhas do PT no Pará entre 1994 e 2006, o jornalista Chico Cavalcante foi preterido, neste ano. Os petistas do Pará preferiram a agência baiana Link, que comandou os programas de rádio e TV de Ana Júlia Carepa, candidata à reeleição.

Autor de seis livros sobre marketing e responsável pela campanha vitoriosa da coligação PSB-PT que levou Camilo Capiberibe ao governo do Amapá, Cavalcante concedeu entrevista exclusiva ao Diário do Pará, feita por mim, via e-mail.

Na troca de e-mails Cavalcante comentou o que considerou os erros fatais da campanha de Ana Júlia e apontou os acertos de Simão Jatene.






Clique na imagem para ampliar

79 comentários:

Anônimo disse...

Temos lido as mais diversas justificativas para a derrota de Ana Julia. A maioria delas tenta fazer crer que o eleitor escolhe seus candidatos como faz opção por uma cerveja, um pacote de biscoito, um desodorante etc...
Não estão errados os especialistas em marqueting, por acharem que sua área de atuação é a mais importante e decisiva.
Como eleitor vejo a coisa diferente. Minha mãe, de 84 anos, adoeceu e não conseguimos interná-la por falta de leitos. E ninguém se contentou com poucas tentativas. Minha filha foi assaltada 4 vezes em plena luz do dia, isto é, entre 8 da manhã as 4 da tarde. Minhas sobrinhas perderam o primeiro semestre, nos últimos anos, por causa de greves nas escolas públicas. Como vão concorrer em igualdade no vestibular?
Fiquemos somente com esses casos.
Pela primeira vez os 6 votos de casa foram para um só candidato.
Como o eleitor norte-americano, o paraense já está sabendo avaliar os responsáveis por seu destino, e tem dado suas respostas.
Que as lições deixadas por esse pleito sejam bem assimiladas pelo novo Governo. É o que esperamos.

Anônimo disse...

Cara Rita existe um comentário no seu blog sobre a possibilidade de Sérgio Bacury em uma pasta importante do Jatene já vai começar os Doutores do NAEA já não bastou o Maurilio da ana Judas?? Já vai começar de novo a mesma presepada no Estado com esses caras que pensam que são melhores que os outros. Olha a asandalia da humildade senão o pau acha o Jatene daqui a 4 anos o mundo mudou e a realidade é dinamica...

Anônimo disse...

Sei lá, a impressão que eu tenho, é que o mercado publicitário paraense está muito preocupado que essa agência se estabeleça aqui definitivamente.

Anônimo disse...

Acho que as pessoas superestimam os marqueteiros. Eles são importantes sim, mas não são deuses. A derrota da Ana Júlia já estava escrita em letras garrafais desde a metade do seu governo. Um governo marcado pela imcompetência, o comadrio, a arrogância, pela corrupção, enfim... Um governo que começou por um caminho errado e não soube contornar. Nenhum marqueteiro iria ser capaz de fazer a população votar na continuidade do governo da Ana Júlia, pois ela não cumpriu nenhuma das promessas da campanha de 2006. O eleitor as vezes é ingênuo, mas não é burro e ele descobriu a duras penas que a Ana Júlia era uma fraude.

Anônimo disse...

O Chico Cavalcante ficou desapontado por ter perdido espaço para a concorrente Link. Se é verdade muitos dos pontos que ele aponta como causa da derrota da Ana Júlia, é preciso, também, deixar claro que o Chico não fez, não coordenou, não ficou à frente da campanha vitoriosa de Ana Júlia em 2006. Bem que ele tenta, até hoje, passar a idéia de que foi dele a campanha, mas a verdade, e todos sabem, foi o mesmo Paulo Heineck, que ele tanto condena agora o responsável pela campanha. O Chico, naquela época, cobrava uma dívida do PT e criou dificuldades, tanto que ficou com uma campanha em Rondônia e acabou perdendo por lá. Fez aqui a campanha derrotada do Mário Cardoso no primeiro turno e no segundo ficou coma parte de rua da campanha de AJ, isso depois de se chegar bem humilde com o PH.
O problema maior desse relacionamento entre o publicitário
e o grupo da governadora é a desconfiança. Daí que a comunicação do governo Ana Júlia - e o Chico estava à frente, sempre foi uma lástima, tanto que Ana Júlia chegou às vesperas das eleições sem cara, sem identidade. Aí a Link veio e a emenda ficou ainda pior do que a encomenda. Enquanto isso, a campanha do Simão Jatene, antes, durante e depois só fez faturar, crescer e assim ficou fácil sair pro abraço.

Anônimo disse...

não adianta o governo da ana julia foi pessimo,um verdadeiro desastre que causou um mal horrivel para o estado do pará.o povo disse não e a sua vontade, marketing nenhum pode mudar.

Anônimo disse...

Faça mil favores!
Quer dizer que os desgastes provocados pela perda de governabilidade (ex.: empréstimo dos 300 mi e relatórios da AGE), a falta de capacidade de gestão (ex. morte de bebês na Sta Casa e demora em conseguir fazer projetos p/ convenios federais), a comunicação medíocre do fábio castro ("coitado" ele não tem culpa de nada!), a priorização da campanha do Puty (com tda sorte de desmandos e trombadas na Casa Civil em plena fase pré-eleitoral), não tem nada a ver com a derrota? Só a Link não fez direito?
Que ele queira dar um chute no PH, que realmente não é flor que se cheire, tudo bem, mas não vai conseguir enfiar essa de jeito nenhum!

Anônimo disse...

A Link recuperou a imagem da AJ e levou ela p/ 2o turno, quando ia perder no primeiro, com no máximo 10%. Isso é um dado da realidade.
Sera que o Chico teria conseguido melhor? Nunca saberemos, mas não acho que usar fala delas SÓ em comícios com o povo e cenas de caminhadas resolveriam o problema. No mais, td que ele falou foi feito. No mais essa entrevista é uma chuva sem fim no molhada, sem nada de concreto, pura abstração, do tipo : "faltou um posicionamento". Putz!

Anônimo disse...

Pra mim a Ana Julia não tinha nenhum credibilidade para bater no Jatene no inicio da campanha. O trabalho feito foi para dar a ela pelo menos esse "direito".
Na sua afobação imatura o Chiquinho ignora isso.

Anônimo disse...

Rita, o Cavalcante pira na batatinha. Ana jÚLIA perdeu porque rompeu (leia-se Puty) com o PMDB. 10% do Juvenil que foram exatamente a diferença de Jatene no 1o turno e os votos que Dilma teve a mais que ela no Pará.
Conta outra Chico!

Bia disse...

Boa noite, cara Rita:

nestes dias, leio as justificativas para a derrota de Ana Júlia e seus corvos e lobos.

Diferente do que ensinam as paródias - sobre as derrotas serem órfãs - esta derrota arranjou muitos pais.

Nenhum deles, no entanto, parece ter morado, vivido, ouvido e respeitado os brasileiros do Pará nestes quatro anos.

Esta eleição foi uma vitória da resistência do povo paraense, desta fantástica mistura negra, branca e indígena. Foi uma vitória da experiência anterior, que Simão Jatene representa, e que, apesar dos acertos necessários, não foi desastrosa para as pessoas, como foram os anos dessesistas.

Assim, chamar isto de "má engenharia política" deve ser gentileza do Chiquinho com seus companheiros. E, imputar à propaganda a impossibilidade de vender um produto muito ruim, é, entre outras coisas, desqualificar a capacidade de compreensão de um povo, sua experiência, sua capacidade de acertar, errar e rever erros.

Depois desta entrevista do Chiquinho, passo a ter alguma simpatia pela Link.


Abração.

Miguel Oliveira disse...

Rita,

Chico é crítico de obra pronta. Depois do resultado, arrisca a querer passar-se por adivinho.
As ponderações de Chico são óbvias, tão óbvias que escondem seu real interesse nessa entrevista: vingar-se de Ana Júlia por ter sido preterido na campanha.
Não estou dizendo aqui que a Link prestava ou não. Ana Júlia perdeu a eleição porque faltaram-lhe votos suficientes. Sua derrota não é um caso de comunicação certa ou errada. A estratégi política é que foi errada e eu já escrevi sobre isso. Não esperei o final das eleições para vir a público estrebuchar, como faz Chico nas páginas do Diário.
Por ser longa, a entrevista de Chico deixa passar quase que despercebida um informação importante que pesa contra ele próprio.
Quando fala de Santarém, Chico esconde que a sua Vanguarda faz a propaganda da prefeita Maria do Carmo, que todos sabem, é do PT e irmã do chefe da Casa Civil Everaldo Martins.
Apostanto, talvez, na desinformação do grande público, Chico inventa uma desculpa para a derrota de Ana Júlia em Santarém mais pirotesca do que a resposta dada pela candidata, no debate, de que Serra era o responsável pela perda da copa para Manaus.
Diz Chico que Ana perdeu em Santarém por causa da propaganda que não era regionalizada e dá como exempo o Ação Metrópole, de Belém, mostrado à exaustão no horário eleitoral.
Chico mente. Ana perdeu porque o governo de Maria, cuja conta de propaganda é da Vanguarda, de propriedade dele, está desgastado e empurrou Ana para baixo, apesar da caricata propaganda da prefeitura, feita por Chico, que mostra apenas ruas sendo reasfaltadas pela prefeitura com verbas do governo do estado. Em todas as seções eleitorais do centro da cidade, onde há obras de afastalmente da PMS em convênio com o governo do estado, Ana Júlia perdeu fragorosamente. Chico seria culpado por isso?
Claro que não.
O exemplo de Santarém é para mostrar o quanto são cínicas essas desculpas apresentadas para a derrota de Ana Júlia.

Miguel Oliveira

Anônimo disse...

Gente! a unica culpada pela perda da Ana Júlia, é ela mesma!Não há santo que fizesse milagre!Perdeu por sua megalomania, por sua egocentricidade, pela falta de humildade, por sua ganância de poder, por falta de ética, pelo seu estrelismo, inexperiência de gestão, e, o que é mais crave no meu entendimento é a falta de confiança, a qual ela não soube tranmitir ao povo, porque não existe.

Anônimo disse...

Tem gente que não entende o que lê, ou mesmo não quer entender, ou talvez queira vender o peixe de qualquer jeito, ainda que passado. O Chico não disse que a Ana Júlia perdeu essa eleição unica e exclusivamente por erros de campanha. Numa eleição o perder e o ganhar se dá por variadas causas, e dentre as quais, uma delas, é a comunicação.É disso que trata a entrevista do Diário do Pará.
E por esse ponto de vista, no que respeita as eleições de 2010 - e ele não discutiu 2006, porque essa é outra eleição, outra história e outra análise -, o chefe da Vanguarda está corretíssimo.

Anônimo disse...

Eu já tinha visto marqueteiro se promover com a vitória, mas com a derrota, sinceramente, é primeira vez que vejo. Não foi esse mesmo Chico Cavalcante que comandava a propaganda da governadora antes das eleições? Pelo menos vi muitos anúncios assinados pela agência Vanguarda que, pelo que eu sei, é do próprio. Aliás, basta consultar o blog dessa agência pra se rever vários, ou melhor, muitos filmetes proclamando o "bom" governo Ana Júlia. Que tal uma reflexão sobre essas peças? Talvez esteja alí a raiz de toda essa discussão.
E vamos acabar com esse negócio de promoção barata, isso é de uma babaquice sem tamanho. Fotos em estúdio com ar de "pensador" e notinhas plantadas em colunas são sinais bem típicos de quem quer ser mais do que é.

Anônimo disse...

Onde está a ética profissional??????????

Anônimo disse...

Mas pera lá, não era esse mesmo Chquinho que dizia aos quatro cantos que iria fazer a campanha da Dilma para presidente? Pelo menos foi o que eu li nessas nossas muitas colunas, mas no final então acabou mesmo sendo preterido por aqui e foi bater no Amapá.

Anônimo disse...

Rita, quem também tem o que falar é o Glauco, ex-dc3.
fez a primeira parte da campanha que teve uma aceitação popular muito boa. Depois também ficou encostado, sem poder de decisão.
Acredito que ele daria uma boa matéria.

Anônimo disse...

Minha pai, de 82 anos, adoeceu e não conseguimos interná-lo por falta de leitos quando Jatene era governador. E ninguém se contentou com poucas tentativas. Meu filho foi assaltada 6 vezes em plena luz do dia, isto é, entre 8 da manhã as 6 da tarde, quando Jatene era governador. Meus sobrinhos perderam o primeiro semestre, nos anos em que Jatene era governador, por causa de greves nas escolas públicas. Meu irmão, que era professor do segundo grau da rede estadual, pediu demissão porque ficou 12 anos sem reajuste no governo do PSDB. Mas nada disso foi dito na campanha de Ana Júlia. Resultado: ficou a Ana Júlia como incompetente e o povo com saude de um "bom governo que não existiu". Muito lúcida a entrevista de Chico Cavalcante. Até que enfim alguém do PT falou coisas com sentido. Aliás, ninguém aqui contestou os fatos relevantes levantados por Chiquinho: Duciomar, o pior prefeito que Belém já teve, se reelegeu. O governo de Ana Júlia não foi pior que o de Duciomar? Duvido. Colocar uma campanha eleitoral na mão de quem não conhece a realidade é um risco que Ana Júlia assumiu. Por isso a culpa de perder é dela, sim. Mas isso não invalida a ótima análise do profissional que teve, inclusive, a honradez de elogiar Jatene e seu marqueteiro, coisa rara entre petistas. Parabéns!!

Anônimo disse...

Rita, parabéns pela ótima entrevista. Cavalcante, que eu não conheço, mostrou-se um lúcido analista. Não seu se ele poderia fazer melhor, mas com certeza faria com alma, coisa que faltou nessa campanha medíocre.

Anônimo disse...

Para o Anônimo das 18:42, que não sabe o que é posicionamento, sugiro a leitura de "Posicionameto", de Jack Trout e All Ries. Não se trata, anônimo, de uma palavra ou simplesmente de um conceito. É uma teoria que orienta uma determinada visão de marketing. Rita está de parabéns pela entrevista e Chico Cavalcante de parabéns pelas idéias, profundamente baseadas em sua larga experiência profissional.

Anônimo disse...

Miguel Oliveira é torcedor e funcionário de Lira Maia, portanto a opinião dele sobre a prefeita de Santarém, sobre a administração da cidade ou sobre a comunicação da prefeitura está eivada de subjetividade. Mas como santareno legítimo (e não um transfuga que se se instalou aqui porque não tinha mais emprego em Belém) vou ajuda-lo a pensar. Você diz que Ana perdeu a eleição em Santarém por causa do governo de Maria, que seria ruim. Ora, Dilma ganhou em São Paulo e em Minas, onde o PSDB governa desde a década de 80. Seria legítimo dizer que o candidato do PSDB PERDEU NESSES ESTADOS POR CULPA DE AÉCIO E ALCKIMIN E SEUS PÉSSIMOS GOVERNOS? Claro que não. O que vale para esse exemplo vale para Santarém. Essa conversa mole de que o PT estava derrotado em Santarém era corrente nos blogs de Belém antes da eleição de 2008. Mas Maria foi lá e ganhou com 15 pontos de diferença do patrão de Miguelito. Pois é. Para ganhar em Santarém a eleição para prefeito, amigo, Lira Maia terá que ter mais votos que o candidato do PT. Como disse o entrevistado de Rita, não se ganha eleção de véspera.

José Carlos Dutra, Santareno, comerciante e morador de Alter do Chão.

Anônimo disse...

Muito ética a entrevista de Chiquinho Cavalcante. Demonstrou muito conhecimento de causa e respeito ao PSDB. Isso é coisa que não se vê no PT, que é uma turma de rancorosos.

Anônimo disse...

o Paulo foi o amigo da onça da Ana Júlia. Foi o grande responsável pela derrota dela. Esse cara é um grosso e incompetente.

Anônimo disse...

Tem gente que precisa aprender a fazer contas. No primeiro ano de Ana Júlia no executivo estadual, o atendimento publicitário foi feito pelas agências que haviam sido licitadas por Jatene. No último ano, sem licitação, quem atendeu foi a Link. Por apenas dois anos as oito agências licitadas por Ana Júlia trabalharam, mas nenhuma delas teve predominância, porque o próprio edital da licitação não permitia isso. Ora, quem mandava na comunicação todo esse tempo? Paulo Heineck, um paraquedista travestido de marketeiro, que mandava e desmandava em tudo e em todo mundo. Onde está esse cara agora? Ninguém sabe. Mas o desastre que ele fez está feito e finalizado com chave de ouro, que foi a importação de uma agência que já havia sido demitida pelo PT nacional em 2006. Parabéns, Rita, pela entrevista.

Patrick Paraense.

Anônimo disse...

O que é que é isso, minha gente? A anônima das 08:42 demonstra preconceito contra o Amapá e os amapaenses. É esse tipo de gente que frequenta esse blog? Embora more no Pará, sou amapaense com orgulho e fico feliz que um profissional de gabarito tenha sido contratado para fazer campanha por lá. Aliás, a campanha Jorge Amanajás foi feita por Duda Mendonça. Isso diminiu Duda Mendonça? Sinceramente. Este blog prova que os descerebrados também acessam a internet.

Anônimo disse...

Bia, eleitora de Jatene, diz que depois da entrevista ficou simpática à Link. Explica-se. Ela entendeu o papel central que a Link teve na preparação do terreno para que Jatene vencesse. Pois eu sou petista, Bia. E acho que o trabalho deplorável feito por essa empresa ajudou, sim, a derrotar a campanha do PT. Dizer que uma eleição vencida por 5% mais um voto foi "a vitória da resistência do povo paraense" é um exagero sem fim. Essa eleição foi a vitória de uma comunicação extremamente eficiente contra uma comunicação amadora, isso sim. Cavalcante tem razão.

Paulo Mendes disse...

O pescador e a ventania

Os governadores eleitos ou reeleitos já começam a se movimentar para receber a compensação das perdas provocadas pela lei Kandir, que prejudicou o Pará de forma cruel. Geraldo Alckmin, de São Paulo e Marconi Perillo, de Goiás, tucanos de carteirada, definiram que o assunto é prioritário na agenda. Mas na reunião desses dois ai, em São Paulo, faltou um tal de pescador loroteiro (existe pescador que não conta potoca?) que naquela hora estava pescando. É ele mesmo, o cara que nem bem assumiu e já está descansando. E vejam bem: estão em jogo 19,5 bilhões de reais, dos quais uma grande parte deve vir para o Pará. Pesque-se com uma ventania dessas...

Anônimo disse...

Não entendi ainda o porque da entrevista tão longa (uma página inteira) com esse Chico Cavalcante. Se ele não fez nenhuma campanha no Pará; se a do Capiberibe, pelo que eu ouvi falar, ele fez apenas uma parte logo no início e depois foi defenestrado de lá, ficando fora do processo, por que toda essa importância para a opinião dele sobre o que aconteceu aqui? Fiquei até achando que a Rita está como assessora de imprensa dele, já que ele é dado a pagar pra ter notas e fotos suas publicadas nos jornais. Mas ainda assim, acho que a jornalista deveria ser mais cuidadosa. Poderia ter dado apenas notas ou ainda uma pequena matéria. Mas uma página inteira da verborrágica entrevista... É demais! A quem conseguiu chegar até o final da matéria vencendo o tédio, só ficou a impressão que esse Chico quer se promover na derrota alheia, só faltando dizer com todas as letras que se fosse ele o marqueteiro da Ana Júlia ela não teria perdido a eleição. E a Rita acabou se prestando pra esse papel...

Anônimo disse...

Eu sou tucana, mas respeito uma pessoa que tem coragem de vir a público, apontar os erros de sua banda e elogiar os acertos da banda adversária. Não entendo o mau humor das pessoas aqui com a entrevista do jornalista. Talvez o fato dele dizer que Ana Júlia não perdeu necessariamente porque fez um mau governo tenha motivado esse mal humor. Mas o contexto em que ele colocou isso é de uma feliz clarevidência. Ele exemplifica e um dos exemplos mais importante é o de Duciomar, o prefeito lixo que Belém reelegeu. Esse cara fez uma administração muito ruim. Muito ruim mesmo. Mas se reelegeu. O que o especialista diz é que isso às vezes acontece e se acontece, poderia acontecer aqui. Ele não diz "se eu fizesse o resultado seria diferente", mas sim aponta as falhas que foram evidentes na comunicação da campanha. O povo elegeu quem o povo quis eleger. Mas que a comunicação da Ana Júlia foi ruim, ah, isso foi mesmo.

Anônimo disse...

Sou amapaense e estou indignado com esse ou essa boçal que manifestou preconceito contra o Amapá. Ainda bem que gente boa que não encontra espaço aí vem pra cá. Graças a isso estamos nos livrando de um governo quadrilheiro que poderia seguir existindo sem contribuição não apenas desse paraense, mas de todos os paraenses que vieram para cá ajudar a varrer o lixo para a maré do passado. Obrigado Chico Cavalcante por ter vindo para o Amapá ajudar a eleger Camilo 40. Obrigado!!!!!!

Anônimo disse...

"Ana Judas??". O que é isso, Rita. Todos os mal educados de Belém resolveram sentar praça em seu blog? Que vexame. Que gente mal educada. Um horror isso aqui.

Anônimo disse...

Não há nenhuma preocupação do mercado publicitário paraense em que essa agência incompetente da Bahia se instale aqui. Os paraenses mostraram que são melhores que eles. Mesmo ganhando menos.

Anônimo disse...

Aviso ao Anônimo das 13:26 e aos que pensam como ele: nem Chiquinho Cavalcante, nem Glauco Lima, nem Oswaldo Mendes, nem Guto Chady, nem Márcia Yamada, nem Anselmo Gama, nem André Moreira e sei lá mais quem JAMAIS estiveram à frente da comunicação de Ana Júlia. Sou funcionário concursado do governo do estado, trabalho na Secom, petista desde a fundação da legenda e posso atestar: quem sempre mandou e desmandou na comunicação aqui, quem contratava e demitia, quem falava com os veículos, quem dava ordem às agências, quem determinava quem fazia o que, era PAULO HEINECK, que falava EM NOME DA GOVERNADORA. Os secretários eram pau mandados. Foi ele, sim, quem trouxe a LINK por considerar que as agências paraenses eram incompetentes. O resto é conversa de quem ouviu falar. Quem sabe, sabe que o PH foi o imperador dessa derrota achando que seria o imperador da vitória. Onde ele está agora? Em lugar incerto e não sabido.

Anônimo disse...

A farse "Chico Cavalcante comandava a propaganda da governadora antes das eleições" é de um profundo desconhecimento de causa. Oito agências trabalhavam para o governo. Oito e não uma. O comando não era das agências, mas do governo. E essa foi a principal inovação desse governo. Aqui não tinha Orly manda em tudo Bezerra. Chico Cavalcante cumpria ordem, como todo mundo. Era serviçal de Paulo Heineck, como todo mundo. Eu nem imaginava que ele tinha essa estatura toda de ocupar uma página inteira no jornal mais lido do estado. Fiquei sabendo agora. No governo da Ana, ele não passava de mais um publicitário, que ficava na sala de espera para ser atendido por Paulo Heineck como todo mundo e ficava feliz quando sobrava alguma coisa para ele. Era tão humilde que eu, que trabalho na Secom, nem sabia que esse baixinho barbudinho era O TAL Chico Cavalcante.

Anônimo disse...

Se fizessem uma pesquisa, no nício deste ano, com todos os jornalistas políticos do Brasil, para que apontassem 02 governadores que não se reelegeriam em 2010, certamente Ana Júlia e Yeda Crusis liderariam o ranking das desacreditadas. Quanta "coincidência": as 02 não se reelegeram. O que quer dizer iiso, na visão do dono da Vanguarda?. As 02 tiveram marketeiros ruins e por isso perderam. Ora tenha paciência! Ana Júlia não ganhou porque fez um péssimo governo!

Anônimo disse...

Ok Rita.
Dois comentários meu não foram publicados.
Não precisa publicar mais esse também!

Parabéns!!!!!!!

Anônimo disse...

Mas pra quê tanta arrogância e falta de ética....

Anônimo disse...

A anônima que enviou um comentário raivoso no dia 7 de novembro de 2010, às 23:30h, tem algum problema pessoal com o Chiquinho. O que é isso, querida "W"? Tire esse ódio do coração. O rapaz não te quis. Pronto. Siga sua vida. Isso às vezes acontece. Não precisa ficar em todo lugar onde ele aparece fazendo comentários desvairados, rancorosos. Procure consolo em Jesus. Só ele tem a salvação para você e os demais DAS que ficarão desempregados a partir do dia primeiro de janeiro.

Anônimo disse...

Miguel Oliveira se esquece que Maria do Carmo, antes do pleito de 2008, era tida e havida como derrotada. Mas venceu a eleição contra o favorito Lira Maia com mais de 15 pontos de diferença. Quem fez a campanha de Lira? Orly. Quem fez a campanha de Maria do Carmo? Chico Cavalcante. Mas nunca o marqueteiro de Maria veio a público bater no peito e dizer que a vitória era dele ou que a derrota era de Orly. Sempre foi ético. O que ele diz é verdadeiro: a rejeição ao governo de Ana Júlia foi se ampliando conforme a campanha avançava. Não começou tão grande. Foi aumentando. E isso só pode se dever a uma comunicação mal cfeita por parte de Ana Júlia. Eu ouvi nas ruas de Santarém as pessoas dizendo: "Mas essa ... só faz coisa em Marabá. Aqui não faz nada". A que se deve essa opinião? Simples. Ao fato da comunicação de Ana Júlia não ressaltar aquilo que foi feito ali. Era preciso ter inserção REGIONALIZADA e isso não aconteceu porque a empresa de fora não sabia que o Pará é um estado dividido. Quanto à próxima eleição, que ainda está por vir, é bom não contar vitória antes do tempo. Nas duas últimas, Do Carmo entrou como derrotada e venceu.

Pedro Veloso, de Santarém

Anônimo disse...

Veja como Cavalcante tem razão. Um dos anônimos que postaram com raiva diz "Quer dizer que os desgastes provocados pela perda de governabilidade (ex.: empréstimo dos 300 mi e relatórios da AGE), a falta de capacidade de gestão (ex. morte de bebês na Sta Casa e demora em conseguir fazer projetos p/ convenios federais), a comunicação medíocre do fábio castro ("coitado" ele não tem culpa de nada!), a priorização da campanha do Puty (com tda sorte de desmandos e trombadas na Casa Civil em plena fase pré-eleitoral), não tem nada a ver com a derrota?". Viu só? Ficou mesmo a idéia de incompetência de Ana Júlia, mas ela não se sustenta à prova dos fatos. Nenhuma grande obra no Pará foi feita quando Jatene foi governador. Todas fora feitas por Almir e Jatene, no máximo, inaugurou algumas. Desmandos na casa civil? Sempre aconteceram e vão seguir acontecendo e ninguém nunca perdeu eleição por isso. Capacidade de gestão? Jatene foi tão incompetente que não teve a chance de se candidatar a reeleição. Morte de bebês na Santa Casa? Durante o governo de Jatene aconteceu o recorde de morte de recém nascidos na Santa Casa. Comunicação medíocre de Fábio Castro? Fábio transformou uma reles coordenadoria de comunicação em uma Secretaria de Comunicação, com status e orçamento próprio e isso beneficiará a todos os governos que vierem adiante. Não cabe a um secretário de comunicação formular marketing de governo. Franklin Martins não é marketeiro de Lula nem tem a responsabilidade pela imagem de Lula e de seu governo. Para isso existe João Santana, o marqueteiro de Lula e antes havia Duda Mendonça. É pura ignorância achar que um secretário de estado vai fazer comercial de TV ou anúncio de jornal. Ocorre, anônim@, que a tentativa de dizer que uma empresa que veio pra cá e levou 20 milhões para SALVAR ANA JÚLIA não tem responsabilidade por nada depois de um ano de trabalho é muito para a cabeça de qualquer um. A Link vendeu e não entregou o produto. O governo de Ana Júlia não foi melhor nem pior que o de Jatene. Mas Jatene foi vendido melhor. E ganhou por isso. É triste, mas você também foi manipulado pela imagem e viu um governo de Ana Júlia que foi vendido por Jatene e não combatido por Ana Júlia. Acredite: você comprou uma imagem.

Álvaro Damasceno, sociólogo.

Anônimo disse...

Para que ninguém se engane: Jatene não é melhor que Ana Júlia e seu governo não foi melhor que o dela. Vamos recordar?

JORNAL DIÁRIO DO PARÁ - 19/12/2006

“Jatene gasta 12 milhões com assessores"

Até outubro, já em plena campanha eleitoral, o Estado arcava com o ônus de sustentar uma folha salarial de elite para cerca de 1.000 assessores especiais (DAS), consumindo mensalmente R$ 1.058.000, encargo que se formos multiplicar pelos 12 anos de governo tucano ao longo do ano sobe para mais de R$ 12 milhões. O valor total do prejuízo, ao longo de 12 anos de administração do PSDB no Estado, atinge a quantia impressionante de R$ 152,3 milhões. Essa lista completa, comentada e jamais divulgada, só foi conhecida nas últimas semanas (veja quadro de nomes abaixo).
Depois da derrota nas urnas, o partido tucano iniciou um processo de enxugamento dessa folha clandestina para evitar o escândalo da demissão em massa de DAS. A estratégia adotada foi a da exoneração gradual. Em pouco mais de 40 dias, a partir de novembro, o governador Simão Jatene exonerou quase 290 ocupantes desses cargos “fantasmas”, que não fazem parte da estrutura funcional do Estado.
Como oficialmente esses servidores não existem, também não há limite para as nomeações e nem critérios para o preenchimento dos cargos. Os “fantasmas” são lotados na Governadoria. São assessores especiais e de gabinete que não batem ponto e, em grande parte, não moram em Belém e alguns não comparecem ao local de trabalho sequer para receber o contracheque. Não existe, também, qualquer controle sobre a produtividade dessas pessoas. Caso todos os DAS aparecessem para trabalhar na Governadoria não haveria espaço físico para acomodá-los, pois a repartição possui um outro corpo funcional, real e produtivo.”

Anônimo disse...

Faço minhas as seguintes palalvras: "Sei lá, a impressão que eu tenho, é que o mercado publicitário paraense está muito preocupado que essa agência se estabeleça aqui definitivamente."

Anônimo disse...

O anonimo que escreveu "não adianta o governo da ana julia foi pessimo,um verdadeiro desastre que causou um mal horrivel para o estado do pará.o povo disse não e a sua vontade, marketing nenhum pode mudar", deveria se informar. Ele foi enganado pela boa comunicação de Jatene. Nada disso é verdade. É tudo percepção. O governo de Ana Júlia, EM TODAS AS ÁREAS, fez um governo melhor que de Ana Júlia. Em qualquer área que se queira analisar. Mas infelzmente a comunicação da campanha não conseguiu provar isso, gerando esse tipo de convicção arraigada baseada em impressões sem qualquer relação com os fatos.

Anônimo disse...

Ninguém comenta o comentário do Miguel Oliveira. Isso é que é solidão.

Anônimo disse...

Pois é, agora a causa da derrota (e da vitória também) se devem à comunicação. A ineficiência na comunicação levou à derrota. A comunicação eficaz levou à vitória. Então, tá.

Minha irmã que sempre votou no PT - bem como todo a nossa família - desta vez votou em Jatene porque precisou do serviço de saúde da Santa Casa e foi errolada por longos meses. A cirurgia que ela precisava fazer até hoje não saiu...

Resultado: a Santa Casa (nem o Hospital de Clínicas ) até hoje não se comunicou bem com ela, por isso ela também não se comunicou bem com a candidata Ana Júlia no dia 31 de outubro.

Anônimo disse...

O anônimo que escreveu "A Link recuperou a imagem da AJ e levou ela p/ 2o turno" CERTAMENTE estava na folha de pagamento de 20 milhões que a Link ganhou para enganar Ana Júlia e sua corte de bobos.

Anônimo disse...

Anonimo das 13:26, você confunde as bolas. Paulo Heineck foi O COORDENADOR DE COMUNICAÇÃO da campanha de 2006. Você confunde essa função com a função de estrategista da campanha. Quem é estrategista ESCREVE, formula, dirige. Isso quem fazia não era ele. Giorlando, Chico, David escreviam para TV. Rejane Barros, Regina Cruz, escreviam para rádio. PH agora teve o mesmo papel de coordenador. Mas quem escrevia era Theo Barbosa, Edson Barbosa e João Lucas Barbosa. Só fizeram m...

Anônimo disse...

Durante o primeiro ano do governo de Ana Júlia, Orly Bezerra autorizou mídia e assinou anúncios. Seguindo a lógica de alguns anônimos, ele também seria resposável pela "comunicação" do governo de Ana Júlia? Não é agência que manda em marketing de governo. Isso é bobagem. É sempre um marketeiro político, que tem identidade política com quem está no governo. Orly mandava durante os governos tucanos. Chiquinho mandava durante a administração de Edmilson em Belém. Mas no governo de Ana Júlia, quem mandava era Paulo Heineck. Está certo. Ela não podia entregar na mão de quem ela não confiava. Mas infelizmente (porque sou petista) o cara não sabia fazer. Aí pediu ajuda dos universitários baianos. Mas eles não sabiam a resposta.

Paulo Mendes disse...

Eu já sabia que eras tucana de carteirada, mas pensei que antes de tudo fosses jornalista. Mas censuraste o meu comentário, assinado, sobre o pescador preguiçoso. Assim são as pessoas...

Anônimo disse...

Atenção:
O anônimo das 12.59 acabou de chegar do espaço sideral....
Te alui, hômi.
Horror foi o que ela, a Ana Judas, fez com o Pará e com os paraenses.
Volte pro seu Sacre Coeur de Marie, ou pro seu Nossa Senhora de Monte Sion.
Ou vá pra Ordem das Carmelitas, mas não as descalças. Descalço "é um horror".

Anônimo disse...

Desmandos na Casa Civil sempre existiram, mas não na proporção que esculhamba a governabilidade e produz escandalos. Alô, alô Marciano.

Anônimo disse...

Bom que a Vanguarda ficou e está ociosa, pelo menos pode pegar sua turma e lotar a caixa de comentários da Rita com a mesma dor de cotovelo do Chico Cavalcante, que nessa eleição, não pode sonhar com a vitória e nem chorar com a derrota, só chupar o dedo com matéria paga.
Será que vai voltar a ser funça do Orly?

Anônimo disse...

Esses petistas são caolhos mesmo.
Vão embarcar nessa de que a Link foi a culpada e em 2012, 2014, vão adotar a fórmula simples: contratar um braço do João Santana ou a Vanguarda, achando que isso não resolve. Quem sabe lançam até a Ana Julia pra prefeita, senado e/ou governadora de novo. Quem sabe aceitem até que o Puty seja ocupante de outro cargo central.
Com essa conversa fiada de comunicação vão deixar de fazer o balanço que devem, os acertos necessários, as mudanças imprescindíveis e levar outras e outras cossas dos tucanos.

Anônimo disse...

Legal, Chico.
Se a mulher do fulano traiu ele no sofá, manda embora o sofá né merrrmo?
Que papo furado!

Anônimo disse...

O Chico venceu esse debate. Ganhou no AP e a DS/Link/PH perderam aqui. Com essa tática de tripudiar sobre o cadáver ele só se queima. Papelão feio. Nem o mercado local ele ta disputando, pq vai voltar a ser do Orly. Lembram como era...ele deve ter esquecido depois que virou bate pau do bezerrão.

Anônimo disse...

Anonimo das 17:00 é que está no espaço sideral. Votou em Jatene achando que ele é melhor que Ana Júlia e se decompôs quando viu que argumento por argumento, isso não é verdade. É só percepção. Foi assim essa campanha. O Jatene dizia e a Ana Júlia não desmentia. E isso foi ficando, ficando, até que ficou parecendo verdade. Alguém lembra que os tucanos retiraram 500 milhões de Belém apenas porque ficaram putos por Belém ter elegido o Edmilson? Alguém lembra que foram esses mesmos tucanos que bloqueraram a construção da Primeiro de Dezembro, manipulando o repasse de recursos para o obra através da Caixa? Alguém lembra que foi Jatene quem elegeu Duciomar prefeito da capital, sendo cúmplice dessa barbaridade que é a administração de Duciomar, o afilhado político de jatene? Pois é. Essa é a realidade. Mas a percepção que passou pela comunicação bem feita de Jatene é que ele é um herói dos povos e Ana Júlia uma incompetente. Não são. Nem Jatene é competente nem Ana é incompetente. É o inverso. Mas a comunicação da campanha não deixou que isso fosse mostrado, não comparou ou dois governos, se perdeu com musiquinha e palhaçadas. Foi isso que aconteceu.

Anônimo disse...

Isso Chiquinho, lambe o Orly quem sabe tu pegas um pedacinho da conta do Estado, quem sabe os anúncios na Veja.
Ahuahuahuahuahuahuahuahauhauahuahau

Anônimo disse...

Alguém reparou que o óculos do Chiquinho Cavalcante é igual ao do Michael Douglas em "Um dia de fúria"?

Anônimo disse...

Agora o bicho pegou! Será que um cara que tem dinheiro para pagar uma página de matéria paga EDITORIAL no Diário, precisa ser "funça" de alguém? Rita, existe isso de alguém COMPRAR uma entrevista no Diário? Você assinaria uma entrevista que na verdade é uma matéria paga? Acho que o anônimo das 18:12 perdeu o rumo e acabou ofendendo a post. Essa discussão aqui só estava boa quando todo mundo tinha a mesma opinião. Bastou que houvesse contraponto para gente que não tem educação começar a baixar o nível. Eu não volto mais aqui. Fui!!!!

Anônimo disse...

Desmandos na Casa Civil seguirão existindo, só que agora a verba de publicidade será melhor e a imprensa não vai noticiar nada, como não noticiaram em 12 anos de governo do PSDB.

Anônimo disse...

Eu acho que a primeira letra do nome da anônima que escreveu no dia 8 de novembro de 2010 às 12:07 é "W". Ela não descansa. Persegue o cara mesmo. Mas para sua informação, Chico Cavalcante, ao lado de Fábio Castro, Sérgio Santos, Pedro Montalvani e Vicente Cecim, a equipe da Vanguarda, esteve do início ao fim na campanha de CAMILO Capiberibe (e não na campanha de JOÃO Capiberibe, que foi dirigida por Walter Jr). Camilo se elegeu governador. Ana Júlia perdeu. Isso pode não significar nada, mas diz uma coisa: o cara sabe trabalhar. Não ganha sempre porque ninguém ganha sempre. Mas sabe trabalhar. Talvez por isso ele mereça uma página no Diário e a anônima que a persegue mereça apenas o anonimato.

Anônimo disse...

Se a Vanguarda ficar ociosa, Chico Cavalcante pode sempre fazer um churrasquinho e vender até a próxima eleição. Não foi isso que Orly fez?

Bia disse...

Boa noite, Rita:

aproveite que o Paulo Mendes ainda choraminga por aqui, reclamando de "censura" e pimbudamente chamando você de tucana - seria muito bom se fosse mesmo! - e informe-o que o pescador de votos não viajou não. Está preparando a equipe de transição.

Abração, "companheira" tucana...rsrsrs....

Anônimo disse...

Essa babaquice de dividir o Pará em tucanos e petistas é um papelão. Gente adulta, criada, pai de filhos fazendo isso. Uma vergonha. O que eu gostei da entrevista (que foi completamente esquecida aqui para se tratar de coisas laterais) é que Cavalcante faz uma ANÁLISE. O que alguns chamam aqui de "virar bate pau do bezerrão" na verdade é pura e simples ética profissional. O que poderia levar esse cara a não dar crédito ao bom trabalho do Orly? Só se ele fosse doido. O Orly pegou um cara DESACREDITADO, contra uma candidata que era favorita, e fez o impensável, elegendo até mesmo o MALA do Flexa. Isso é um trabalho milagroso. O que tem de errado em um cara que também faz marketing político elogiar outro por esse ter feito um trabalho bom? Onde eu vi civilidade, respeito e ética, alguns aqui viram "virar bate pau". Onde nós estamos? Na selva? Na África? Temos que matar os contendores? Temos que comer a carne deles? O cara ganhou e o outro, como analista, disse que o que ganhou fez seu trabalho bem feito. Só isso. Era para ser normal. Mas numa campanha tão agressiva como a que faz na internet seria demais pedir que a demonstração de civilidade do jornalista fosse bem recebida. Cavalcante está de parabens pela qualidade de sua análise, embora eu não concorde em todos os pontos com ele. E está de parabéns também pela demonstração de maturidade ao reconhecer que seu principal concorrente na área fez um trabalho digno de nota. Parabéns!!!

Anônimo disse...

Ana Júlia será candidata a prefeita sim. Por que não? Qual motivo levaria uma mulher que teve 45% dos votos no estado a não disputar a prefeitura? Por que razão ela abriria mão disso? Essa palhaçada de dizer que quem perde uma eleição no Pará está destruído é uma falácia, coisa de gente mal informada. Ana Júlia é jovem e vai voltar a governar. A ilusão de bom governo que levou Jatene a vencer e a comunicação vagabunda que levou Ana Júlia a não reagir não se encontrarão mais. Não precisa ser o Chiquinho nem o João Santana. Qualquer um daqui faria uma campanha melhor do que a campanha de merda que foi feita pelo PT que, dentre outras coisas, destruiu Paulo Rocha, uma das lideranças políticas mais respeitadas do Pará. É só pegar alguém que está passando na rua e que entenda quem é quem que vai fazer uma campanha melhor do que essa. E Ana Júlia vai voltar a ser o que nunca deveria deixar de ser: uma liderança de luta e de garra, capaz de vencer as piores dificuldades. Ana Júlia prefeita!!! Esse é o meu voto!!!

Anônimo disse...

Rita, me explique: como é que uma simples entrevista pode mover tantas paixões assim? Que coisa, né?

Anônimo disse...

Duas coisas: 1. mais da metade dos comentários foram escritos pela mesma pessoa para cacifar a entrevista e valorizar esse Chico, mesmo quando parece que o atacam. 2. quando alguém vai dizer que Chico Cavalcanti não foi responsável pela campanha da Ana Júlia em 2006? Porque o mesmo Chico não disse o que ele fez na campanha de 2006? Pergunta para ele Rita.

Newton Pereira disse...

Rita,

Estava no sítio sem internet, e só agora vi a quantidade de comentários sobre a entrevista do Chico. Saiba que ele é um dos melhores nomes do marketing políticos no Brasil, e pode ter certeza que vai ajudar o PT a sair dessa.
Um forte abraço.

Newton Pereira

ps: Chico você tem que fazer uma visita em Ananindeua.

Anônimo disse...

Gente, ja sei. O governo Ana Júlia não foi incompetente. Foi só uma "sensação de incompetência" que a população sentiu. Bastava contratar a a Vanguarda, e isso não ocorreria!

O Estado do Tapajos On Line disse...

Aos que se fazem de idiota.
Ana Júlia perdeu em Santarém porque sua imagem foi vinculada à de Maria do Carmo pela coordenação política da campanha de Jatene no município.
A eleição foi praticamente distrital, dois grupos distintos que vêm se enfrentando nesta década, tinham candidatos. Lira Maia estava com Jatene, Maria com Ana Júlia.Todos os candidatos ligados a Jatene venceram com folga. Todos os candidatos ligados a Maria foram fragorosamente derrotados nas urnas do município.
No segundo turno, por exemplo, Jatene dividiu a propaganda com Lira Maia, Alexandre Von e Helenilson. Talvez o único caso de regionalização da campanha.
Maria foi para tv pedir votos para Ana Júlia, mesmo fazendo corpo mole na campanha. Foi um desastre.
Os números não mentem: Jatene 68,15% e Ana Júlia 31,85%.
Quanto ao Lira Maia, gostem ou não, ele teve o dobro de votos em Santarém de Carlos Martins, irmão da prefeita Maria do Carmo, a grande eleitora da eleição de 2010.... do Jatene rsrsrsrs

Miguel Oliveira

Anônimo disse...

Não sei como alguém no Brasil pode achar que marketing político não tem importância e que as pessoas votam, simplesmente, com suas consciências, como disse o anônimo que escreveu em 7 de novembro de 2010 às 06:13. É só olhar o mundo. É só ver Lula em 2002 e o que ela era antes. É só Obama. Justamente em nosso país, onde uma pessoa que há um ano atrás era uma ilustre desconhecida e se tornou presidente da república vencendo na maioria dos estados, inclusive onde o adversário era governo, dizer que marketing político não muda voto é realmente de uma infantilidade absurda. Muda sim. Para o bem (como fez elegendo Jatene e Flexa) ou para o mal (como fez derrotando Ana Júlia).

Anônimo disse...

Na prestação de contas da campanha de 2006 de Ana Júlia arquivada no PT o nome de Francisco Cavalcante consta, em recibos onde se lê, "consultor de estratégia". Os recibos foram emitidos por Edilson Moura, coordenador financeiro da campanha. Será que o PT pagou o cara para não fazer nada?

Anônimo disse...

Paulo Heinek já está de malas prontas para se mudar para a Europa, a troco de fazer uma pós-graduação. Deve ter feito uma bela poupança com o salário pago com o imposto dos otários paraenses.

Anônimo disse...

Rita, já viste que o Puty está de malas prontas para o PC do B?
Mandou a Eutálio, sua eterna preposta, negociar com o um alto stalinista sua passagem, mas já propondo sua candidatura à PMB em 2012 que, ele sabe, não terá espaço no PT. O problema é que pegaram ele no pulo do gato e o que se fala nos corredores petistas é em comissão de ética e, quiçá, expulsão.

Anônimo disse...

Agora, todo mundo "tenta" filosofar sobre a derrota de Ana Júlia. Não tem segredos minha gente, a ÚNICA responsável pela derrota de Ana Júlia foi ela própria.

Anônimo disse...

O problema é que a Ana Júlia acha que aquela campanha meia-boca de 2006, coordenada pelo PH, foi a grande responsável pela sua vitória para o governo estadual e não uma conjunção de fatores favoraveis, como o fato de o Jatene ter aberto mão para o Almir, o cansaço do rodízio tucano a 12 anos no poder, a aliança com o PMDB, etc. Acreditando nisso o gaúcho se tornou mais um dos gurus dos quais ela gosta de se cercar. O cara vinha uma vez por mês no Pará, apenas para buscar o seu.
Bem feito para Ana Júlia, só agora que foi enxergar que sua comunicação pheneckiana foi mais um dos erros do seu governo. Agora é tarde, ele tá rico e ela perdeu a reeleição.

Elton Braga disse...

Ana Júlia perdeu, também, porque do outro lado estava Simão Jatene, que foi um bom governador e deixou o seu governo em 2006 bem avaliado pela população.
Também acredito que "Deus resiste ao soberbo, mas dá graça aos humildes."
Elton Braga

Anônimo disse...

O bacana desses comentarios, é que, todos que escrevem se acham senhores da verdade e dizem o que pensam e o que querem. Isso é direito de todos. Só não entendo que estejam justamente esbravejando no direito do publicitário Chico Cavalcante se manifestar. Moro em Belo Horizonte, mas acompanho as noticias de Belém e de meu Estado sempre que posso. Li a reportagem e não lembro de ter lido que se a empresa do publicitario tivesse a conta da candidata derrotada, ela teria sido vitoriosa. percebir que o recado que o publicitário passou, entre outros, é de que os nomes dos profissionais paraenses envolvidos com a Link só apareceram agora com a derrota da Ana Julia. É perceptivel que alguns comentário contra o profissional são de cunho pessoal. Eu acredito que a quetão não é falar mal ou bem. A questão é falar de fatos com conhecimento de causa. E isso, por tudo que pesquisei do Francisco Cavalcante, ele tem.