Pages

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Só para os coleguinhas

Há muito que o blog Desilusões Perdidas faz sucesso entre os jornalistas. Reproduzo aqui um dos posts, mas tem muito mais


O post do desassossego

O jornalista desassossega-se com grana. Tem dias em que acorda e pensa: “Puta merda, ainda não fiz aquele plano de previdência privada que eu planejei há anos! Assim, eu vou acabar passando a minha velhice no retiro dos jornalistas”.

Sofre, sente-se frágil. Faz contas, pergunta-se, pela enésima vez, se é melhor um PGBL ou um VGBL. Só sossega um pouco quando trabalha com o cenário de não conseguir chegar à velhice, o que é bem provável, considerado o ritmo maluco de vida que leva.

O jornalista desassossegado batalha frilas o tempo todo, já que o salário – quando tem – é insuficiente. Passa as madrugadas acordado, escrevendo, enchendo a cara de café e pensando nos prazos finais.
O jornalista desassossega-se com o que pode ocorrer no dia de seu plantão. Pede a Deus – esquece até que é ateu – que nenhuma desgraça extraordinária aconteça no mundo no período em que ele vive seu cárcere na redação. Já pensou se o Pelé resolve morrer logo num sábado à noite?

O jornalista desassossegado vive o mesmo drama quando está deixando o jornal em um dia normal de trabalho. Para evitar uma pauta de última hora, daquelas que obrigam o repórter a ralar até o fim da noite, adota a saída à francesa, na ponta dos pés, escondendo a bolsa sob o casaco e olhando discretamente para os lados.

O jornalista desassossega-se com seus projetos profissionais. Será que é isso mesmo que eu quero para o resto da minha carreira? Será que não é hora de largar esse mundo podre da política que eu cubro há tanto tempo para me dedicar ao jornalismo cultural que eu sempre amei? Será que não é o momento de recomeçar, do zero? Será que não é o caso de vender o carro e passar um ano fora do Brasil, conhecer gente nova, idéias novas? Será que, mesmo velho, eu ainda vou levar um curso de Inglês a sério?

O jornalista desassossega-se com tudo que está acontecendo no planeta. Precisa saber sobre as últimas pesquisas eleitorais, sobre as catástrofes naturais que nos dão a sensação de que o mundo acabará mesmo em 2012. Precisa formar opinião sobre tudo, sobre o casamento gay, sobre as novas mídias, sobre a necessidade de ter opinião sobre tudo. Muitos jornalistas tomam café da manhã na padaria com as páginas do jornal abertas, tomam banho com as notícias na rádio.

O jornalista desassossegado não pode passar vexame na reunião de pauta e, principalmente, não pode ficar sem assunto na mesa do bar.Acho que a única jornalista neste mundo que não deve ter qualquer tipo de inquietação é a Ilze Scamparini. Pensem bem: ela deve ganhar razoavelmente bem, mora numa cidade agradabilíssima, trabalha de vez em quando e não precisa sequer se preocupar em fazer alisamento nos cabelos. Sim, essa mulher tem uma vida completamente serena.

Irritantemente serena.

Eu ainda prefiro o meu desassossego.

10 comentários:

. disse...

Apenas respondendo aos desassossegados a primeira pergunta: faça o plano PGBL. Você pode restiuir o pagamento da previdência no imposto de renda.
Er... é claro que eu ainda não fiz um pra mim. Mas já me informei que é assim!

Felipe Ericeira disse...

CARREATA DA VITÓRIA
DEPUTADA ELCIONE 1515
DATA: 26 DE SETEMBRO DE 2010
CONCENTRAÇÃO: 09h30min
LOCAL: AVENIDA JOÃO PAULO II - ENTRE TV. LOMAS VALENTINAS E DR. FREITAS.
SAÍDA: 10h (IMPRETERIVELMENTE)
PARTICIPE!

Anônimo disse...

Oh, Rita.Apesar de td dificuldade acho a tua profissão muito importante.Eu que sou formado em Direito tenho a maior vontade de fazer jornalismo.Um forte abraço.
Márcio Farias

Isa Arnour disse...

Rita, Maria!
Apesar de tudo isso...Ser jornalista é a profissão mais linda deste mundo. Amo ser jornalista, assim como eu sei que você também.
Esta inquietude é o que nos motiva :)
Um grande abraço;
Isa Arnour

Nina disse...

Gente, a Ilse só fas matéria sobre o Papa, por isso é que essa moleza. Quanto aos cabelos...aaaaii, que inveja!!!

Anônimo disse...

PLACAR FICHA LIMPA
3 A FAVOR
1 CONTRA A APLICAÇÃO DA LEI NESTAS ELEIÇÕES.

Rose Gomes disse...

Amei, Rita. É a mais pura verdade sobre nós, com raríssimas exceções.

Anônimo disse...

PELA MINHA HONRA, PELA HONRA DO MEU PAÍS, NÃO VOTO NO LULA E NEM EM QUEM ELE MANDAR.
POR ISSO NÃO VOTO NA DILMA, NA ANA JÚLIA, NO PAULO ROCHA, NO PUTY... - NESSE, ENTÃO, PUTS!!! NÃO VOTO MESMO.

Anônimo disse...

Caro articulista, sou mais os olhos da Rita - "olhos de ressaca", de "peixe morto de paixão"-, do que o cabelo da Ilze Scamparini. Excluindo o "não deve ter qualquer tipo de inquietação" (...), "deve ganhar razoavelmente bem, mora numa cidade agradabilíssima, trabalha de vez em quando", acho a Rita melhor exemplo do que a repórter global. (AV)

Anônimo disse...

Belo post.
É assim mesmo que vivemos. Sem final de semana, nem feriado. Lembro bem de uma noite (altas horas), em um motel, com uma bela mulher. Saí de lá a toda velocidade após receber um bip com amorte da princesa Diana. Tinha que reunir material para a tv, com a presença da princesa no Brasil. Meu prazer ???? Foi prás cucuias !!
Mas ser jornalista é ... Pac~iência e Penitência para responder.